Free CursorsMyspace LayoutsMyspace Comments
BLOG GRILO FALANTE: Janeiro 2011

sábado, 22 de janeiro de 2011

CINEMINHA NA ESCOLA!!!!

Cinema na escola

Saiba como filmes podem contribuir para a formação e o exercício de cidadania


Por Aline Silva






















Objetivos:

★ Desenvolver a percepção

★Desenvolver as funções sensoriais

★Desenvolver as funções motoras



Saber escrever um bom texto, conhecer obras literárias e autores famosos são virtudes extremamente reconhecidas em nossa sociedade. Mas a prática de assistir filmes e debater sobre o seu conteúdo também tem se mostrado altamente relevante para auxiliar na formação cultural das crianças, bem como na formação da cidadania. Utilizado como recurso pedagógico, o cinema explora outras visões de mundo, auxiliando na criação da personalidade e possibilitando enxergar outras práticas sociais. Mas para seu caráter educativo ser colocado em prática é necessário que os pedagogos estimulem o debate e a análise das obras, para que as crianças possam interpretá-las e criar identificação social, podendo assim formar sua própria maneira de enxergar o mundo. No Colégio Magister, em São Paulo (SP), acontece há dois anos o projeto "Cineminha", que consiste na apresentação de filmes aos alunos, seguidos de debates para complementar os temas trabalhados em sala de aula. Tatiana Gola, coordenadora pedagógica do ensino fundamental I, explica como ele funciona.

Qual o papel do cinema na formação dos alunos?

O cinema possui o papel fundamental de comunicador social, e tem profunda importância na formação da personalidade de crianças e jovens pois, por meio das imagens e do som, o cérebro das nossas crianças e jovens é estimulado o tempo todo. A imagem é gravada com maior facilidade, e seus efeitos, tanto positivos quanto negativos, deixam suas marcas e mantêm neles um eco prolongado que, às vezes, fica impresso para sempre.

Como o cinema pode contribuir para o desenvolvimento da cidadania?


Por meio da exploração de histórias do cotidiano, que quando são visualizadas são interiorizadas pelos alunos, possibilitando reflexões de atitudes e valores de cidadania.

Como são elaboradas as atividades?

As atividades que envolvem cinema são elaboradas como ferramenta de apoio para dar subsídios a temas abordados em sala de aula. As professoras escolhem os filmes de acordo com o que estão desenvolvendo nas disciplinas curriculares, ampliando o olhar dos alunos. Em alguns momentos há a ampliação desse olhar por meio de outros recursos, como por exemplo o livro. Este ano os alunos leram o livro O Fantástico Mundo de Feiurinha e depois assistiram ao filme, podendo comparar as diferentes formas de expressão. Em seguida, elencaram o que era diferente e o que era semelhante em cada uma das linguagens.

Como são feitas as discussões sobre os filmes assistidos?



Utilizamos diferentes estratégias para discutirmos as obras assistidas. Os alunos preenchem roteiros, discutem em rodas de conversa, são estimulados a debater o assunto e a registrar suas opiniões.

Nessas discussões são levantadas as questões culturais, sociais e econômicas?

Sim, até porque acreditamos que é importante contextualizarmos as obras a essas questões, de maneira a ampliar o olhar e a refl exão dos alunos para construírem com propriedade seus argumentos de análise.

"As atividades que envolvem cinema são elaboradas como ferramenta de apoio aos temas abordados em sala de aula"

Quais os resultados obtidos com o projeto "Cineminha"?

Percebemos um envolvimento muito grande dos alunos nesse projeto e os resultados são mensurados no dia a dia dos alunos por meio das mudanças de atitudes, como o aumento do senso crítico. Este ano, por exemplo, tivemos alto índice de aprovação em uma das atividades com o 5º ano. Os alunos leram A Chave do Tamanho, de Monteiro Lobato, e assitiram trechos dos filmes A Queda, A Lista de Schindler e Anjos da Guerra, para analisar o contexto histórico da época em que Monteiro Lobato escreveu o livro e elaborar uma pesquisa sobre este período. Essa pesquisa foi exposta na Mostra Cultural que o colégio promove anualmente.
Para saber mais:

★ Discurso e Ensino: O Cinema na Escola, de Carmen Zink Bolognini (Editora Mercado de Letras)

★ Cinema e Educação, de Roseli Pereira Silva (Editora Cortez)


(Fonte: guia prático do ensino fundamental)







terça-feira, 18 de janeiro de 2011

PROVA DO MAGISTÉRIO E GABARITO (EDUCAÇÃO INFANTIL/RJ 2011)

LÍNGUA PORTUGUESA
Texto: Da solidão
Há muitas pessoas que sofrem do mal da solidão.
Basta que em redor delas se arme o silêncio, que não se
manifeste aos seus olhos nenhuma presença humana,
para que delas se apodere imensa angústia: como se o
peso do céu desabasse sobre a sua cabeça, como se
dos horizontes se levantasse o anúncio do fim do mundo.
No entanto, haverá na terra verdadeira solidão? Não
estamos todos cercados por inúmeros objetos, por infinitas
formas da Natureza e o nosso mundo particular não está
cheio de lembranças, de sonhos, de raciocínios, de ideias,
que impedem uma total solidão?
Tudo é vivo e tudo fala, em redor de nós, embora
com vida e voz que não são humanas, mas que podemos
aprender a escutar, porque muitas vezes essa linguagem
secreta ajuda a esclarecer o nosso próprio mistério. [...]
Tudo palpita em redor de nós, e é como um dever de
amor aplicarmos o ouvido, a vista, o coração a essa infinidade
de formas naturais ou artificiais que encerram seu segredo,
suas memórias, suas silenciosas experiências. A rosa
que se despede de si mesma, o espelho onde pousa o
nosso rosto, a fronha por onde se desenham os sonhos de
quem dorme, tudo, tudo é um mundo com passado, presente,
futuro, pelo qual transitamos atentos ou distraídos. Mundo
delicado, que não se impõe com violência: que aceita a
nossa frivolidade ou o nosso respeito; que espera que o
descubramos, sem anunciar nem pretender prevalecer; que
pode ficar para sempre ignorado, sem que por isso deixe de
existir; que não faz da sua presença um anúncio exigente
“Estou aqui! estou aqui!”. Mas, concentrado em sua essência,
só se revela quando os nossos sentidos estão aptos
para descobrirem. E que em silêncio nos oferece sua múltipla
companhia, generosa e invisível.
(Cecília Meireles. “Da solidão” IN: Escolha o seu sonho. Rio de
Janeiro: Record, s/data. Páginas 35 – 37. Excerto adaptado.)
Responda às questões da prova com base na compreensão
do texto.

QUESTÕES:

01. A intenção da autora, ao se servir da primeira pessoa
do plural ao longo da crônica, é:
(A) ocultar ao leitor a rispidez da imposição de suas
ideias com essa fórmula de cortesia
(B) destacar o poder de sua função de escritora
(C) provocar a impressão de que as ideias que expõe
são compartilhadas pelo leitor
(D) dirigir-se cerimoniosamente ao leitor, tratando-o
com deferência enfática
02. Trata-se de um texto literário, no qual importa não apenas
o que é dito, mas o modo como é dito. Assim,
observa-se que as perguntas formuladas no segundo
parágrafo cumprem o objetivo de:
(A) atenuar a expressão do pensamento que será
desenvolvido a seguir e que coincide com o fato
constatado no primeiro parágrafo
(B) despertar a curiosidade do leitor, camuflando uma
declaração que se contrapõe ao expresso no
primeiro parágrafo
(C) desqualificar, por antecipação, o que será dito a seguir
(D) esclarecer e ratificar a constatação pela qual o
texto é introduzido
03. Em “... que espera que o descubramos...”, no quarto
parágrafo, o pronome pessoal em destaque representa
a seguinte forma nominal anteriormente expressa:
(A) violência
(B) frivolidade
(C) mundo
(D) respeito
04. “No entanto, haverá na terra verdadeira solidão?”
(segundo parágrafo). Constata-se a mesma relação
de sentido expressa pelo conectivo em destaque em:
(A) O administrador afirma que o hospital funciona bem,
contudo as falhas no atendimento são evidentes.
(B) Temos obrigação de votar com consciência, pois
desejamos o melhor para todos.
(C) Participaram da festividade não apenas os moradores
da vila, mas também aqueles dos arredores.
(D) Nossa família é sempre muito unida, portanto não
há motivo para temer a solidão.
05. Em “... o nosso mundo particular não está cheio de
lembranças, de sonhos, de raciocínios, de ideias...”
(segundo parágrafo) as vírgulas são empregadas para:
(A) realçar elementos que exercem funções sintáticas
diversas
(B) indicar supressão de um verbo
(C) isolar adjuntos adverbiais antecipados
(D) separar elementos que exercem a mesma função
sintática
06. “Basta que em redor delas se arme o silêncio...”
(primeiro parágrafo). Nesse segmento, a autora optou
por uma construção na qual, contrariando a ordem
direta da frase, o verbo é anteposto ao sujeito. Isso
também se verifica em:
(A) “E que em silêncio nos oferece sua múltipla companhia,
generosa e invisível...”
(B) “Tudo palpita em redor de nós...”
(C) “... como se dos horizontes se levantasse o anúncio
do fim do mundo...”
(D) “... essa linguagem secreta ajuda a esclarecer o
nosso próprio mistério...”
07. Não há mais acento em ideias, porém ainda se usa
em distraído. Segundo o atual Acordo Ortográfico, a
série em que nenhuma das palavras deve receber
acento gráfico é:
(A) tem, mantem, creem, Xerem
(B) voo, feiura, ruim, europeia
(C) forma, tunel, paranoia, Meier
(D) imã, benção, boleia, paraibano
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
3
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
08. Em “A rosa que se despede de si mesma...” (quarto
parágrafo) ocorre transferência de atributos humanos
a seres inanimados, o que também se verifica em:
(A) “Rio lento de várzea, / vou agora ainda mais lento, /
que agora minhas águas / de tanta lama me pesam...”
(B) “Não direi que assisti às alvoradas do Romantismo,
não direi que também eu fui fazer poesia...”
(C) “Músicas passam... e delas, como se a cor ganhasse
ritmos preciosos, parece se desprender,
se difundir uma harmonia azul, azul...”
(D) “Quando ele nasceu, nasceu de birra / Barro ao invés
de incenso e mirra / Cordão cortado com gilete.”
09. Sabe-se que, como regra geral, o verbo varia para conformar-
se ao número e à pessoa do sujeito, mas há
casos que fogem a essa regra. A frase correta quanto
à concordância verbal é:
(A) Basta dois filhos para o casal lastimar os momentos
de solidão perdidos.
(B) Faz muitos anos que se procura fugir da solidão
indo ao shopping.
(C) Deve existir outros motivos para as pessoas
sofrerem por angústia.
(D) Sobrou do romance apenas lágrimas de desespero
por saudade e solidão.
10. As orações “... sem anunciar nem pretender prevalecer...”
(quarto parágrafo) unem-se, sendo estabelecida
entre elas a seguinte relação de sentido:
(A) explicação
(B) conclusão
(C) oposição
(D) adição
MATEMÁTICA
11. Várias caixas iguais com formato de um cubo foram
empilhadas no canto de duas paredes conforme mostra
a figura abaixo.
A quantidade total de caixas empilhadas é igual a:
(A) 19
(B) 28
(C) 30
(D) 36
12. Em um pote de vidro há 169 balas e em outro há 247.
A quantidade de balas que deve ser tirada do segundo
pote e colocada no primeiro, de forma que os dois potes
fiquem com a mesma quantidade de balas, é igual a:
(A) 37
(B) 39
(C) 41
(D) 45
13. Tetraedro regular é um sólido geométrico formado por
quatro triângulos equiláteros. A tabela abaixo mostra a
representação de um tetraedro e quatro figuras planas
formadas com os quatro triângulos da superfície
do tetraedro.
Representam a planificação de um tetraedro regular,
apenas as figuras de número:
(A) 1 e 3
(B) 1 e 4
(C) 2 e 3
(D) 2 e 4
14. Uma lanchonete oferece 6 tipos de sanduíches, 3 tipos
de doces e 4 tipos de refrescos. O número máximo de
lanches distintos com um sanduíche, um doce e um
refresco, nessa lanchonete, é igual a:
(A) 72
(B) 54
(C) 28
(D) 13
15. Observe os quadrados abaixo:
O quadrado da figura 1 é chamado de mágico porque,
somando-se os três números de cada horizontal,
de cada vertical ou de cada diagonal, o resultado
é sempre o mesmo.
Para que o quadrado da figura 2 também seja mágico, o
valor de X deve ser igual a:
(A) 3
(B) 4
(C) 5
(D) 6
Figura 1 Figura 2
Tetraedo Figura 1 Figura 2
Figura 3 Figura 4
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
4
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
16. Colocando em cada quadradinho da expressão abaixo,
um sinal de adição (+), subtração (–), multiplicação (x)
ou divisão (÷), a expressão fica correta.
A sequência de sinais a ser colocada nos
quadradinhos é:
(A) -, +, ÷, +, x
(B) + , -, x, +, ÷
(C) -, +, ÷, x, +
(D) +, +, x, - ÷
17. Um professor levou para a sala de aula uma embalagem
com a forma de um paralelepípedo.
Com esta embalagem, o professor demonstrou aos
alunos que esse sólido possui o seguinte número de
arestas:
(A) 6
(B) 9
(C) 12
(D) 15
18. Utilizando sempre 6 quadradinhos podem ser formados
somente dois retângulos diferentes, conforme
mostram as figuras abaixo:
Com exatamente 24 quadradinhos pode-se formar, no
máximo, o seguinte número de retângulos distintos:
(A) 6
(B) 5
(C) 4
(D) 3
19. A figura abaixo representa um círculo dividido em 8
partes iguais.
Em relação à área total do círculo, cada uma dessas
partes representa o seguinte percentual:
(A) 12,50%
(B) 12,75%
(C) 14,25%
(D) 14,75%
20. Na malha quadriculada abaixo, cada lado de um dos
24 quadradinhos mede 1 cm.
Um aluno pretende ampliar o retângulo ABCD acima
de modo que sua área fique multiplicada por 9. Após a
ampliação, o perímetro do retângulo, em cm, será igual a:
(A) 144
(B) 108
(C) 54
(D) 36
ATUALIDADES
21. Nas eleições de 2010, os brasileiros tiveram mais
uma oportunidade de eleger novos senadores e deputados
federais. Essa representação está organizada
de modo a garantir a participação de todas as unidades
federativas no poder nacional. São critérios que
definem os quantitativos de parlamentares que cada
unidade federativa tem direito no Senado e na Câmara
dos Deputados Federais, respectivamente:
(A) um – proporcional ao número de municípios
(B) dois – proporcional ao número de eleitores
(C) três – proporcional ao tamanho da população
(D) quatro – proporcional ao tamanho da economia
22. O Brasil vem consolidando uma posição cada vez mais
expressiva no cenário geopolítico e econômico mundial
e foi, por isso, incluído no grupo conhecido como
BRIC, iniciais para Brasil, Rússia, Índia e China. Esses
países destacam-se, principalmente, pelo fato de que,
segundo projeções estatísticas, estarão entre as seis
maiores economias mundiais até meados deste século.
O Brasil possui, dentre outras, a seguinte vantagem
em relação aos demais países do BRIC:
(A) formação de grandes empresas nacionais com
atuação global
(B) possibilidade de significativa expansão das áreas
agricultáveis
(C) mercado consumidor amplo e diversificado
(D) grande extensão do território nacional
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
5
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
23. “Segundo projeções do Instituto Brasileiro de Geografia
e Estatística, o Brasil tem duas décadas para aproveitar
o “bônus demográfico”, quando mais gente trabalha e
contribui para a Previdência, garantindo recursos para
sustentar os aposentados do futuro. A população economicamente
ativa (de 15 a 64 anos) é hoje maior que
a de dependentes (crianças e aposentados).” (Época,
8 de novembro de 2010). Considerando a dinâmica
demográfica brasileira, pode-se afirmar que o término
do “bônus demográfico” ocorrerá, principalmente, em
função do seguinte processo:
(A) aumento da expectativa de vida e correspondente
elevação da proporção de idosos no conjunto dos
habitantes do país
(B) elevação da taxa de natalidade e correspondente
aumento da proporção de jovens na sociedade
(C) redução dos índices de mortalidade infantil e correspondente
incremento do percentual de crianças
na população
(D) diminuição dos indicadores de saúde e assistência
médica e correspondente declínio da população
economicamente ativa
24. O processo de favelização na cidade do Rio de Janeiro
possui várias causas socioeconômicas. Um
fator explicativo desse processo, e que representou
um estímulo à expansão dessas comunidades no
período apresentado na tabela abaixo, é:
(A) expansão dos programas públicos de financiamento
habitacional, facilitando a aquisição de moradias
nos subúrbios cariocas
(B) precariedade dos transportes públicos, tornando primordial
a residência próxima ao local de trabalho
(C) redução acentuada do emprego informal, impulsionando
o crédito bancário para a construção de residências
populares
(D) multipolaridade da localização industrial na cidade,
favorecendo a formação de favelas com elevada presença
de operários
25. O aquecimento global é considerado por muitos como o
fenômeno mais marcante da relação sociedade-natureza
em nossos dias. A principal fonte de emissão dos
gases apontados como causadores do aquecimento
global está corretamente enunciada em:
(A) utilização de adubos químicos na agricultura
(B) acúmulo de lixo e de esgoto não tratado
(C) geração de energia em centrais nucleares
(D) queima de combustíveis fósseis
26. Paralelamente ao advento da Terceira Revolução Industrial
ocorreu um conjunto de mudanças na organização
do capitalismo contemporâneo, dando origem
ao atual modelo produtivo, conhecido como pósfordista
ou toyotista. Assinale a alternativa que contém
uma característica correta desse novo modelo:
(A) grandes unidades produtivas que realizam todas
as etapas da produção
(B) ampliação da oferta de empregos no setor industrial
(C) produção diversificada e vinculada às demandas
específicas do mercado
(D) elevado índice de defeitos e de desperdício de
matéria-prima
27. Uma característica marcante das relações internacionais
das últimas décadas tem sido a formação de blocos
econômicos reunindo diversos países de uma mesma
região do mundo. Considerando esse quadro, o
bloco econômico que constitui uma zona de livrecomércio
e o bloco que está na condição de união
aduaneira em processo de implantação são, respectivamente:
(A) NAFTA – Mercosul
(B) ALADI – APEC
(C) União Européia – ASEAN
(D) ALCA - UNASUL
28. O termo subdesenvolvimento surgiu após a Segunda
Guerra Mundial, evidenciando as desigualdades
socioeconômicas entre as nações. Contudo, a visão
de que os países subdesenvolvidos formam um conjunto
homogêneo é absolutamente falsa. Nos últimos
anos vem ganhando força uma denominação para fazer
referência aos países subdesenvolvidos industrializados
ou em fase de industrialização avançada, com
mercados consumidores significativos e cujas economias
respondem por uma parcela cada vez maior
da economia mundial. Esses países vêm sendo chamados
de:
(A) periféricos
(B) megablocos
(C) integralistas
(D) emergentes
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
6
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
29. “O presidente da Autoridade Nacional da Palestina
(ANP), Mahmoud Abbas, reiterou ontem (21) o pedido
de que Israel cesse a construção dos assentamentos
na Cisjordânia e Jerusalém Leste. A Palestina
não aceitará a sugestão americana para retomar a
negociação direta.” (China Radio Internacional -
http://portuguese.cri.cn - acesso em 22/11/2010).
O conflito entre palestinos e israelenses é um dos
mais significativos da geopolítica mundial dos últimos
sessenta anos. A causa principal dessa disputa está
relacionada ao fato de que esses dois povos:
(A) possuem diferenças religiosas capazes de fomentar
um ódio recíproco há mais de dois mil anos
(B) disputam o mesmo território como base para seus
respectivos estados-nacionais
(C) apresentam diferenças étnicas que vêm servindo
de base à política racista israelense há pelo menos
dois séculos
(D) competem pelo controle estratégico das grandes
jazidas de petróleo e gás natural da região
30. Analise os dados da tabela abaixo:
O acesso às tecnologias da informação ocorre de forma
socialmente desigual. Analisando a tabela, assinale
a alternativa que contém uma característica que
justifica a posição dos países com maior percentual
de usuários com acesso à Internet:
(A) população economicamente ativa (PEA) predominantemente
jovem
(B) generosos subsídios estatais para a compra de
linhas telefônicas
(C) elevada renda média da maioria da população
(D) rede da educação básica predominantemente
privada
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL
31. Kishimoto (2005) afirma que o brincar é
polissêmico. Isto quer dizer que o brincar tem
certas características, mesmo que a concepção do
brincar varie de cultura para cultura. A autora, citando
Dóris Fromberg (1987), elenca as principais características
dos jogos, as quais:
(A) são interessantes e livres; geralmente são apenas
extrinsecamente motivados; refletem a
imaginação das crianças sendo fantasiosos e
irreais; não são atividades escolares
(B) representam a realidade e atitudes; neles, a
criança é ativa; têm significado para quem brinca;
são intrinsecamente motivados, mas
sujeitos a regras; possuem metas espontaneamente
construídas
(C) têm como objetivo principal a socialização;
possuem regras previamente construídas; precisam
de intervenção do adulto; abordam conhecimentos
específicos
(D) são submetidos a regras implícitas ou explícitas;
possuem metas exclusivamente individuais;
precisam de intervenção do adulto para construção
de regras; devem ser atividade dirigida
32. Coelho e Pedrosa (2000), baseadas nos estudos de
Wallon, afirmam que as crianças de dois a três anos
de idade dão sinais de que estão construindo a função
psicológica de representar. Concluem também que a
brincadeira/jogo do faz de conta favorece o desenvolvimento
desta função psicológica em específico – a
de representar - porque esta brincadeira:
(A) reforça o pensamento concreto e sincrético da
criança, oferecendo brinquedos específicos que
dão sustentação ao objetivo da criança
(B) permite que as crianças compreendam mais
concretamente o mundo, expressando suas
intenções e preferências em situações diversas
na escola
(C) favorece a expressão livre e espontânea das
crianças colocando-as em contato com as outras
crianças da turma de maneira prazerosa
(D) permite que as crianças comecem a diferenciar,
em seu pensamento, as relações entre as coisas
ou as situações vividas expandindo sua forma
de pensar
33. “Toda criança é sujeito ativo e nas suas interações está
o tempo todo significando e recriando o mundo ao seu
redor. A aprendizagem é a possibilidade de atribuir
sentido às suas experiências. Planejar inclui escutar a
criança para poder desenhar uma ação que amplie
suas possibilidades de produzir significados”.
A partir desta visão, Corsino (2009) indica características
do planejamento, as quais dirigem a atenção do professor
ao construir situações de produção e apropriação
dos saberes. Essas características do planejamento são:
(A) o inacabamento; a participação; a previsibilidade
e imprevisibilidade; e a continuidade e o
encadeamento
(B) organização; sequenciação; previsibilidade;
descrição de materiais e atividades
(C) organização; construção coletiva entre os adultos responsáveis;
ferramenta pedagógica; lista de idéias
(D) estruturação; antecipação; descrição da rotina e atividades;
referência escolar
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
7
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
34. A Secretaria Municipal de Educação do Município do
Rio de Janeiro publicou em 2010 as “Orientações
Curriculares para a Educação Infantil” com o intuito de
subsidiar o trabalho pedagógico das creches e préescolas
do município. Este documento revela uma
proposta cuja concepção está centrada:
(A) nas crianças
(B) nas relações e interações entre os envolvidos
(C) nas ações do educador para planejamento
(D) no currículo e conteúdos
35. A abordagem sociointeracionista tem influenciado
fortemente a educação infantil no Brasil com indicações
claras de que as ações da prática pedagógica
tanto na creche quanto na pré-escola, devem se
basear em:
(A) mediações constitutivas do sujeito
(B) tarefas variadas com atividades dirigidas
(C) experiências e aprendizagens individuais
(D) emoções, afetividade e atenção
36. Campos e Coelho (2006) coordenaram uma pesquisa
para conhecer as percepções existentes a respeito
da qualidade da educação infantil em quatro estados
brasileiros. As opiniões dos envolvidos, pais e profissionais
das escolas, revelaram que, para eles, é muito
importante que as escolas de educação infantil “cuidem
bem das crianças”. As autoras defendem que há
duas interpretações sobre este “cuidar bem”. Uma delas
é a perspectiva predominantemente de custódia e a
outra perspectiva é, no sentido de garantir:
(A) um lugar seguro para as crianças enquanto as
mães trabalham
(B) a ordem, a limpeza e a disciplina rígida no ambiente
da escola
(C) a proteção, o respeito aos direitos básicos e zelo
pelo bem estar das crianças
(D) uma postura estritamente de ensino de conteúdos,
principalmente da alfabetização
37. Kishimoto (2005) defende que o processo de
letramento, vivido durante a educação infantil, deve ser
concebido a partir de situações que têm intencionalidade,
mas que devem acontecer em ambientes sem pressão,
com a participação ativa da criança. De acordo com
a autora, é correto afirmar que:
(A) o brincar na educação infantil é uma maneira ilegítima
de fomentar o processo de letramento, dando
mais oportunidades para atividades livres e espontâneas,
com direcionamento esporádico
(B) a emergência do letramento depende de experiências
diversas e planejadas que deem subsídios
para o fazer e que este, por sua vez, promova
condições para o falar/dialogar, encorajando ainda
a expressão gráfica e simbólica
(C) o processo de letramento se dá por meio de atividades
dirigidas e pré-estabelecidas, com exercícios
para registro gráfico e por meio do manuseio
de livros e recursos impressos
(D) as crianças se apropriam do uso da escrita e leitura
espontaneamente e à medida que crescem
e se desenvolvem em ambientes onde o currículo
é aberto e flexível
38. Luis Persival Leme Brito (2005) discute conceitos como
o de letramento, alfabetização, alfabetismo e cultura da
escrita. O autor defende que, na educação infantil:
(A) as crianças devem desenhar e juntar letras, por
meio de atividades dirigidas, usando livros, revistas,
gibis, jornais e outros materiais impressos,
construindo assim seu processo de codificação e
decodificação de maneira ordenada
(B) deve haver preocupação com a sequência lógica
da apresentação do sistema da escrita e da leitura
para que as crianças aprendam e estejam preparadas
para a alfabetização
(C) deve-se introduzir as letras, de maneira clara e
sistemática, para que, ao dominá-las, as crianças
comecem a escrever e dar sentido ao mundo
da escrita
(D) deve-se construir as bases para que as crianças
possam participar criticamente da cultura escrita,
conviver com a organização do discurso escrito e
experimentar as diferentes formas do mundo escrito
39. “Segundo Vygotsky, a construção do pensamento e
da subjetividade é um processo cultural, e não uma
formação natural e universal da espécie humana”
(OLIVEIRA, 2002), isto porque esta construção
acontece devido:
(A) ao uso de instrumentos de dimensão material
(B) à utilização da natureza sensorial e instintiva do
ser humano
(C) à possibilidade humana de partilhar significados
(D) à capacidade dos sujeitos individuais de construir
e descobrir signos
40. Froebel (1782-1852) pode ser considerado o “pai dos
jardins de infância” porque:
(A) criou um espaço para crianças e adolescentes
que divergia tanto das casas assistenciais, por
incluir uma dimensão pedagógica, quanto da
escola, pois não tinha preocupação de modelar
as crianças
(B) valorizou a diminuição do tamanho de móveis e
objetos de modo a adaptá-los ao tamanho das
crianças
(C) defendeu a organização da sala por meio de
centros de interesse, estruturados em três
eixos: observação, associação e expressão
(D) preconizou a observação rigorosa das crianças,
para que elas pudessem ser divididas em
turmas com características homogêneas
41. Campos e Rosemberg (2009) escrevem que as
crianças têm direitos quando atendidas em creches.
Um deles é o direito à brincadeira e este se refere,
genericamente, a:
(A) brincadeiras livres, espontâneas, sem
direcionamento, mas com tempo definido para
que as crianças não se dispersem
(B) brincadeiras em espaços interno e externo, mas
esse último somente quando as crianças demonstram
ser capazes de se orientar sozinhas
(C) brinquedos disponíveis e acessíveis em espaço
adequado e tempo flexível para brincadeiras
participativas, iniciadas ou não pelas crianças
(D) atividades planejadas e estruturadas que usem
brinquedos que veiculem conhecimentos gerais e
específicos para os bebês e crianças pequenas
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
8
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
42. Barbosa (2008) define as rotinas na educação infantil
como categorias pedagógicas planejadas pelos
responsáveis pelas unidades de educação infantil no
sentido de desenvolver os trabalhos cotidianos nessas
instituições. A autora chama a atenção para o fato de
que as rotinas:
(A) têm sido bastante estudadas e explicitadas nas
teorias pedagógicas
(B) costumam não ter relação com o projeto políticopedagógico
das unidades
(C) são determinadas por questões legais e administrativas
da unidade
(D) são elementos de normatização da subjetividade
de crianças e adultos nas unidades
43. De acordo com pesquisa realizada sobre as rotinas
em unidades de educação infantil em relação ao uso
do tempo, Barbosa (2008) refere que, na maioria
dessas unidades:
(A) os tempos de transição entre uma atividade e
outra geralmente eram bem trabalhados pelas
educadoras
(B) as educadoras utilizavam canções para fazer a
transição de uma atividade para outra
(C) as crianças costumavam discutir sobre o uso do
tempo com os adultos
(D) as atividades eram cronometradas, tendo um tempo
de duração previamente determinado
44. Ao discorrer sobre o brinquedo ou jogo educativo,
Kishimoto (2008), na obra “Jogo, brinquedo, brincadeira
e a educação”, afirma que:
(A) o educador potencializa situações de aprendizagem
à medida em que deixa as crianças brincarem
livremente
(B) ao propor um brinquedo educativo às crianças, o
educador tem garantia de quais conhecimentos
elas apreenderão
(C) a função lúdica do brinquedo é propiciar diversão,
prazer e até desprazer, quando escolhido voluntariamente
(D) o brincar livre é incompatível com a aprendizagem
formal e necessária
45. Oliveira (2002) propõe que a avaliação na educação
infantil deva ser “ferramenta para o arranjo de boas
condições para o desenvolvimento de meninos e
meninas, desde o nascimento”. Nesse sentido, a avaliação,
deve ser constituída:
(A) pela apresentação de obstáculos e caminhos
emergentes nas trajetórias das crianças
(B) pela descrição detalhada e cronológica de todos
os avanços das crianças
(C) por meio de uma escala de méritos e valores com
o propósito de classificar as crianças
(D) por aspectos provisórios e permanentes relacionados
as respostas das crianças no aqui
e agora
46. Dias (2007) expõe uma proposta de educação
estética e artística para crianças em unidades de educação
infantil. Segundo a autora, a melhor forma de o
professor trabalhar o processo de sensibilização
artística das crianças é:
(A) intensificando as atividades estéticas na unidade
de educação infantil, já que este tipo de formação
é restrito ao espaço escolar
(B) eximindo-se de elogiar conforme seu próprio
padrão estético e solicitando que as crianças
mesmas falem a respeito de suas produções e
das de seus colegas
(C) estimulando a homogeneização das produções
das crianças, pois permite o desenvolvimento da
crítica através da comparação dos trabalhos
(D) criando um dia por semana para trabalhar cada
cor ou forma (o dia do amarelo, o dia do retângulo
e assim por diante)
47. Os estudos da sociologia da infância indicam a
necessidade de mudança no conceito de socialização.
De acordo com Martins Filho (2006, p. 18) e outros
autores contemporâneos, a socialização pode ser
entendida como um processo:
(A) reprodutivo e interpretativo
(B) imposto e determinado
(C) natural e funcional
(D) adaptativo e estruturante
48. Guimarães (2009), inspirada em modelos italianos
de educação infantil, ressalta a importância da organização
do espaço com vistas à ampliação das possibilidades
socializadoras e criativas das crianças. A
autora defende que estes espaços devem ser flexíveis,
relacionais e instigadores, contribuindo para:
(A) uma aprendizagem formal e organizada dos
conteúdos selecionados para a educação infantil
(B) a execução do planejamento conforme previsto
com o corpo técnico da unidade
(C) o bem estar, segurança e todo o tipo de aprendizagem
social, afetiva e cognitiva das crianças
(D) a seleção dos mobiliários determinando os locais
para as atividades previstas
49. A Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro,
Gerência da Educação Infantil, elaborou um documento
para orientar os profissionais da rede municipal de
educação infantil sobre os procedimentos básicos
para promoção da saúde nas unidades. Estas
orientações pretendem alertar sobre os cuidados
pessoais, com o ambiente, com a criança e ainda com
a comunidade. Este documento tem a intenção de:
(A) desenvolver ações pedagógicas com maior
ênfase nos cuidados das crianças
(B) fortalecer o trabalho com as crianças por meio de
relações interpessoais saudáveis
(C) incluir procedimentos diários relativos aos
cuidados das crianças e aos profissionais
adoentados
(D) atender as necessidades das crianças e de suas
famílias com relação às doenças e ao acompanhamento
do crescimento e desenvolvimento
infantil
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
9
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
50. De acordo com teorias psicogenéticas do desenvolvimento,
a partir dos 3 anos de idade, a criança vivencia
o processo de constituição do “eu”. Pode-se perceber
isto porque, nesta fase, a criança começa a se perceber
como indivíduo e a consolidar o uso dos pronomes
na primeira pessoa: ganham relevância o EU e o MEU.
A partir daí, a criança intensifica a imitação (por admiração)
e a capacidade de representação (de si e dos
outros). Sabendo disso, é interessante que as crianças
nas creches e pré-escolas tenham a possibilidade de:
(A) participar de atividades em grande grupo na
maior parte do dia produzindo trabalhos coletivos
(B) poder se olhar no espelho e ter outra perspectiva
da sala
(C) entrar e sair da sala, quando menores em companhia
de adulto responsável, conforme seu
desejo
(D) expressar-se em situações diversas podendo
contribuir individualmente para o grupo
51. Sobre o documento “Indicadores de Qualidade da
Educação Infantil” (MEC, 2009), é correto afirmar que:
(A) é composto por nove dimensões que abordam
diferentes aspectos
(B) propõe uma avaliação realizada exclusivamente
pela diretora e pelos professores
(C) constitui-se em um processo de autoavaliação da
Unidade de Educação Infantil
(D) suas dimensões são avaliadas por meio de
notas de 1 a 10
52. Para Barbosa (2008), um dos elementos constitutivos
das rotinas na educação infantil é a organização do
ambiente. Em relação a este tema, a autora recomenda:
(A) construir o espaço junto com as crianças, buscando
projetar o ambiente com base na perspectiva
das crianças e de suas medidas
(B) organizar o ambiente de acordo com as plantas
baixas, sugeridas por autores clássicos, como
Montessori, Freinet e Decroly
(C) brincar com as crianças mais tempo no espaço
interno do que no externo, já que é mais fácil cuidar
delas em ambientes fechados
(D) evitar mudanças no ambiente de forma que as
crianças se sintam estáveis e seguras
53. A respeito das interações e possibilidades de
aprendizagens dos bebês, Oliveira (2002) afirma
que os bebês:
(A) agem de forma que dissocia afeto e cognição
(B) antes de construírem uma lógica na ação,
constroem uma lógica narrativa
(C) nascem sem estruturas pré-adaptadas para se
relacionar com outros seres humanos
(D) são confrontados, desde o nascimento, com
construções materiais e não materiais das quais,
a princípio, não tem consciência
54. Sobre os procedimentos de disciplina em sala, é
possível afirmar que o professor deve:
(A) construir um ambiente moral apenas depois de
condutas indisciplinadas das crianças
(B) ajudar as crianças a resolverem os conflitos,
explorando as contradições existentes nas relações
humanas
(C) aumentar o tempo de espera para uma criança
ser atendida, quando ela não estiver se comportando
bem
(D) estabelecer regras, mas não justificá-las, já que
crianças pequenas tem capacidade limitada de
compreensão
55. De acordo com Barbosa e Horn (2008), a aprendizagem
só ocorre quando a experiência é significativa
para todos os envolvidos e defendem que a pedagogia
de projetos é uma das muitas possibilidades
de organizar as práticas educativas. As autoras afirmam
que a pedagogia de projetos é interessante
em termos de organização pedagógica porque:
(A) as outras possibilidades de organização, como
por exemplo, centros de interesse, limitam-se ao
espaço da sala
(B) considera todo o planejamento feito pelo/a professor/
a prevendo o caminho a ser percorrido e
os materiais a serem utilizados
(C) organiza o ambiente deixando-o bonito, ilustrado
e atrativo para as crianças
(D) contempla uma visão multifacetada dos conhecimentos
e das informações
LEGISLAÇÃO
56. A dona de casa Mariana procurou informações na
Secretaria Municipal de Educação de sua cidade para
matricular, em 2011, Joane, de 3 (três) anos, e Jáder,
de 4 (quatro) anos, em creche e em pré-escola.
Mariana sabe que seus filhos têm direito à Educação
Infantil na rede pública de ensino, o que lhe é garantido:
(A) pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, no
Título I, das Disposições Preliminares
(B) pela Constituição Federal, art. 205, em redação
alterada pela Emenda Constitucional nº 11, de
1996
(C) pela Constituição Federal, art. 208, em redação
dada pela Emenda Constitucional nº 53, de 2006
(D) pelo Estatuto da Criança e do Adolescente, no
Título II, dos Direitos Fundamentais
57. A Educação Infantil, de acordo com a Lei de Diretrizes e
Bases da Educação, tem como finalidade complementar
a ação da família e da comunidade na educação integral
da criança, em seus aspectos:
(A) psicológico, cognitivo, motor e emocional
(B) intelectual, cognitivo, social e cidadão
(C) físico, intelectual, emocional e cultural
(D) físico, psicológico, intelectual e social
Secretaria Municipal de Administração
Coordenadoria Geral de Gestão de Talentos - CGGT
Concurso Público
Secretaria Municipal de Educação
10
PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL
58. A formação dos profissionais da educação, para
atender às especificidades do exercício de suas atividades,
terá como um dos seus princípios, entre
outros:
(A) a garantia de efetiva participação na gestão da
escola, que permita a construção de
conhecimentos administrativos e pedagógicos
(B) a presença de sólida formação básica, que
propicie o conhecimento dos fundamentos
científicos e sociais de suas competências de
trabalho
(C) o aperfeiçoamento de suas competências, em
formação continuada, incluindo licenciamento
periódico para esse fim
(D) o aproveitamento de formação e de suas
experiências anteriores, somente em instituições
de ensino
59. Na Educação Infantil, o “conjunto de práticas que buscam
articular as experiências e os saberes das crianças
com os conhecimentos que fazem parte do patrimônio
cultural, artístico, ambiental, científico e tecnológico, de
modo a promover o desenvolvimento integral de crianças
de 0 a 5 anos de idade” (Resolução CNE/CEB, nº 5,
de 17/12/2009), constitui-se como:
(A) o princípio ético-político
(B) a função sociopedagógica
(C) a concepção de currículo
(D) o planejamento didático
60. De acordo com o Estatuto da Criança e do Adolescente,
compete ao dirigente de estabelecimento de ensino
fundamental a comunicação ao Conselho Tutelar
quando ocorrer:
(A) qualquer falta que o aluno tenha
(B) maus tratos envolvendo seus alunos
(C) inadequação do aluno à escola
(D) indicação de doença contagiosa
CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL - QUESTÕES DISCURSIVAS
Leia o caso A e responda às questões 1 e 2.
CASO A
Enquanto o pessoal de apoio descarregava os materiais de consumo na entrada da unidade de Educação Infantil,
algumas crianças entre 4 e 5 anos observavam atentamente. Assim que os homens se distraíram, as crianças
aproximaram-se do material e fizeram comentário sobre as grandes caixas de papelão que embalavam as mercadorias
ali deixadas. A professora da turma, que observava tudo a certa distância, aproveitou a oportunidade para
problematizar a situação e propor ao grupo pensar em alternativas para a utilização das caixas vazias. Várias sugestões
foram dadas, até que uma criança disse:
“Vamos fazer um foguete para viajar ao espaço sideral”.
As crianças demonstraram grande interesse e curiosidade sobre a sugestão da/o colega.
(Texto adaptado da crônica “O aniversário da minha mãe e como mandar crianças para a lua”, de Boriollo e Betoni)
Resolva as questões 01 e 02 como se você fosse o(a) professor(a) desta turma.
01. Elabore um planejamento pedagógico para esta turma de forma a aproveitar o entusiasmo e curiosidade dos
meninos e das meninas sobre a sugestão dada pela criança. (20 pontos)
02. Articule o seu planejamento pedagógico, descrito na questão anterior, com as áreas do conhecimento e linguagens
do currículo. (10 pontos)
Leia o caso B e responda à questão 3.
CASO B
O dia a dia no berçário é um rebuliço só. Tanto rebuliço que, para o surgimento dele, foi um pulo. Esquisito? Pode até ser,
mas o fato é que foi tudo real. (...) foi assim que apareceu o Gato. Na verdade, era um educador-gato. Ele vinha leve,
manso, ágil, curioso, terno e afetuoso com os pequeninos. De repente, lá estava ele no meio dos bebês (entre 8 e 14
meses) que, “de gatinhos”, engatinhavam para lá e para cá. Os pequenos, ao notar a presença do Gato, iniciaram uma
jornada de exploração: tocavam, sorriam, apoiavam-se, ora no Gato, ora nas paredes enfeitadas com imagens do
felino, formando um caminho a ser percorrido por mãozinhas tateantes, enfim, identificavam-se com o novo amigo.
Obs. No caso relatado, o Gato é um educador fantasiado.
(Texto adaptado da crônica “Balaio de gato”, de Moraes e Santiago)
03. Se você trabalhasse com o educador-gato, como você organizaria o ambiente e os materiais para que as crianças
pudessem usufruir da experiência trazida por este educador e qual(is) seria(m) seu(s) objetivo(s)? (10 pontos)
Concurso Público


GABARITO:
1C
2B
3C
4A
5D
6C
7B
8A
9B
10D
11D
12B
13C
14A
15B
16D
17C
18C
19A
20D
21C
22B
23A
24B
25D
26C
27A
28D
29B
30C
31B
32D
33A
34B
35A
36C
37B
38D
39C
40A
41C
42D
43B
44C
45A
46B
47A
48C
49B
50D
51C
52A
53D
54B
55D
56C
57D
58B
59C
60B
PODE SER QUE TENHA ALGUM ERRO POIS RETIREI ESSE GABARITO DA NET!!!!

sábado, 15 de janeiro de 2011

BRINQUEDOS E BRINCADEIRAS OBRAS DE IVAN CRUZ

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

BONECO ECOLÔGICO!!!

MATERIAL ÓTIMO PARA TRABALHAR ADAPTAÇÃO ESCOLA!!!


Essa atividade é ótima para o período de adaptação das crianças, ele poderá ser o mascote da turminha. As crianças terão que ter a responsabilidade de colocar um nome em seu mascote e voltar a escola todos os dias para regar e observar o crescimento do cabelinho de seu

amiguinho ecolôgico

Você vai precisar de:


l meia calça usada


l serragem


l alpiste


l lã vermelha ou boquinha


l olhinhos de plástico


l cola quente


Como fazer:


1°passo:


Misture o alpiste com um pouco de serragem, para começar a encher a


meia até onde você quiser que nasça o cabelo do boneco.

2° passo:


Preencher o restante da meia com serragem pura.


Ao terminar, amarre e corte o que sobrar da meia.


3° passo


Comece a dar um rosto ao seu boneco. Na altura do nariz, puxe um pouco a meia e amarre com uma gominha.


Se quiser colocar orelhas, basta repetir a ação.


Realização: Parceria:


4°passo


Utilizando cola quente, coloque os olhos e a boca de seu boneco.


Com um pedaço de fio de lã você pode dar formatos diferentes à boca, para criar expressões


variadas.

5° passo


Vá a uma torneira e molhe totalmente o boneco, até que ele esteja enxarcado. O boneco deverá ser molhado um avez por dia, somente na região da cabeça.


Depois, basta molhar o boneco uma vez por dia e somente na região da cabeça, para acompanhar o crescimento do “cabelo verde”.

2010-09 - Oficina - Boneco Ecológico - Parte 1

MAGISTÉRIO

EXERCÍCIOS PARA CONCURSO DO MAGISTÉRIO






1. De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais, a função principal da avaliação é:



A) atribuir conceitos e graus aos alunos.

B) estabelecer critérios para aprovação e reprovação dos alunos.

C) separar os alunos em grupos fortes, fracos e médios.

D) orientar o processo ensino e aprendizagem.



2

Num mundo em constante alteração, a educação é a melhor preparação para sermos capazes de nos adaptarmos



Marque a alternativa que melhor situa a posição da escola diante dessa realidade:



A) Prepara o educando para ser capaz de resolver sozinho todos os problemas futuros.

B) Ajuda o educando a desenvolver suas potencialidades, capacitando-o a usar seu pensamento

crítico para transformá-las em realizações efetivas no futuro.

C) Complementa a educação do lar, valorizando mais hábitos sociais úteis no futuro.

D) Valoriza mais o ensino da leitura, escrita e cálculos que serão sempre úteis no futuro.



3

Em cada sala de aula, utilizamos diferentes estratégias para vencermos diferentes desafios.

Buscando aprender, cada criança percorrerá seu próprio caminho. É função do professor

perceber quais caminhos cada aluno seguirá rumo à aprendizagem.



Assinale o princípio que orienta esta prática:



A) Todos os alunos são capazes de aprender, cada um no seu ritmo e a partir de pontos diferentes,

desde que lhe sejam oferecidas oportunidades para que isso ocorra.

B) Os diferentes ritmos de aprendizagem devem ser respeitados e valorizados, desde que sejam do interesse dos pais.

C) É fundamental que os professores optem por um único caminho e baseiem suas aulas apenas

nele, desde que sejam de uma mesma escola.

D) É necessário que o professor indique acompanhamento pedagógico para o aluno.





4. A legislação educacional brasileira, quanto à composição curricular, contempla dois eixos: uma Base Nacional Comum e uma Parte Diversificada.

A Base Nacional Comum garante uma unidade nacional, para que todos os alunos possam ter

acesso aos conhecimentos mínimos necessários ao exercício da vida cidadã.

A Parte Diversificada visa atender:



A) à capacidade de comunicação dos alunos e seu desenvolvimento como membro de um grupo

social.

B) às peculiaridades locais, aos planos dos estabelecimentos e às diferenças individuais dos alunos.

C) ao estudo da língua como um instrumento de comunicação aplicável a todas as situações.

D) à identificação do núcleo comum.



5.

O movimento da Escola Nova, no Brasil, trouxe contribuições importantes para a Educação. Assinale a opção que não caracteriza a Escola Nova.



A) Inspiração nas idéias político-filosóficas de igualdade entre os homens

B) Proposição de idéias e técnicas pedagógicas renovadoras

C) Conservadorismo e autoritarismo

D) Democratização de ensino baseado na cooperação social e solidariedade



6.

A educação brasileira, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais da solidariedade humana, tem como finalidade:



I) o pleno desenvolvimento do educando

II) a preservação e a expansão do patrimônio da União

III) o preparo para o exercício da cidadania

IV) o preparo para a universidade

V) a qualificação para o trabalho

Das afirmações acima, estão corretas apenas:



A) I, II e IV

B) III, IV e V

C) I, III e V

D) I, II e V



7.

Atualmente, os sistemas de ensino vêm sendo orientados para promover respostas às necessidades educacionais especiais, de acordo com a Política Nacional de Educação Especial, na perspectiva de uma educação inclusiva.



Para promover educação inclusiva, é preciso garantir:



I) formação de professores e demais profissionais para o atendimento educacional especializado

II) acessibilidade urbanística e arquitetônica

III) transversalidade da educação especial desde a educação infantil até a superior

IV) participação da família e da comunidade

V) atendimento educacional especializado

VI) continuidade da escolarização nos níveis mais elevados do ensino



Marque a alternativa verdadeira:



A) Apenas as afirmativas II, III e V estão corretas.

B) Apenas as afirmativas I, IV e V estão corretas.

C) Apenas as afirmativas IV, V e VI estão corretas.

D) Todas as afirmativas estão corretas.



GABARITO 1. D 2. b 3. A 4. b 5.C 6. C 7. D

Para concursos

AULA 1: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO



EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO



Identifique os paradigmas de cada momento histórico:

a) Antigüidade: Filosofia

b) Idade Média: Teocentrismo

c) Idade Moderna: Antropocentrismo

d) Idade Contemporânea: Iluminismo (já existem outros atualmente, ex. neoliberalismo)



Em que contexto histórico a instituição “escola” emerge? E a “escola pública”?



A escola é uma invenção moderna, surge com a necessidade de transmitir o conhecimento científico, oriundo do paradigma antropocentrista.

A escola pública surge a partir da consolidação dos estados nacionais (repúblicas), inspirada nos princípios de liberdade, fraternidade e igualdade (Revolução Francesa)



Cite o principal marco referencial para a Educação Brasileira. Quais eram os seus princípios?



1932: Manifesto dos Pioneiros da Escola (ou da Educação) Nova. Os princípios são: escola pública, gratuita, obrigatória e laica (desvinculada da religiosidade).



Qual a importância do educador Paulo Freire para a Educação Brasileira?



Paulo Freire se empenhou em promover uma educação em prol dos movimentos populares, que por conta do fracasso escolar, haviam sido excluídos dos processos de escolarização. O educador pregava a idéia de que a educação é um ato político, pois promove a libertação do indivíduo da condição de oprimido (imposta pelo sistema capitalista). Inicia seu trabalho com um campanha regional de alfabetização, em 1961, no Rio Grande do Norte (“De pé no chão também se aprende a ler”), cultivando um sentimento nacional a serviço do povo. Seu método de alfabetização se baseava na palavra geradora, oriunda do universo vocabular dos educandos.



Quais as principais características das legislações brasileiras?



Lei nº 4024/61 – Exame de Admissão (passagem do primário para o ginásio). Nomenclatura: Primário, Ginásio, Colégio e Ensino Superior.

Lei nº 5692/71 – Tecnicista e “Educação Moral e Cívica”. Nomenclatura: 1º, 2º e 3º graus.

Lei nº 9394/96 – Democrática, descentralizadora e popular. Nomenclatura: Ensino Fundamental, Ensino Médio e Educação Superior.



Desenhe o organograma de tendências pedagógicas de acordo com ARANHA:



LIBERAIS PROGRESSISTAS/SOCIALISTAS

Tradicional Reprodutivistas (transitória)

Nova (ou Renovada) Libertária

Tecnicista Libertadora

Crítico-social dos conteúdos

OBS: Não aprofunde!!!



Sinalize alguns teóricos e seus respectivos pensamentos citados no livro “História da Educação” de Maria Lúcia Aranha:



Froebel

Criador dos Jardins de Infância

Dewey

Escola pragmática (prática)

Decroly

Centros de Interesse

Montessori

Atividade com liberdade (rodízio)

Skinner

Behaviorismo (condicionamento)

Paulo Freire

Educação é um ato político



EXERCÍCIOS DE CONCURSOS


1. (Mesquita, 2006) Ao longo dos séculos a educação escolar tem sofrido significativas mudanças. Sobre a educação escolar indique a afirmativa correta:

(a) A educação escolar define-se como o único espaço informal na sociedade;

(b) A idéia de escola pública e obrigatória ganhou impulso no século XVIII E XIX;

(c) A educação escolar sempre foi obrigatória para toda população brasileira;

(d) A educação escolar foi a modalidade de educação na idade média;

(e) A educação escolar não promove qualquer tipo de controle social sobre os indivíduos.


2. (Niterói, 2003) O Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, elaborado em 1932, expressou algumas das tensões entre os educadores conservadores e renovadores. Considere as idéias expressas pelos renovadores no Manifesto:

I - O Manifesto criticou reformas parciais e apontou a necessidade de se elaborar um plano que desse unidade à política educacional. Os renovadores esclareceram, entretanto, que unidade não significava uniformidade. Unidade nacional pressupunha o respeito à multiplicidade e não a adoção de um centralismo estéril.

II - O Manifesto apontou a importância da autonomia da função educacional. Para tanto, os renovadores defenderam a necessidade da criação de um fundo que garantisse verbas exclusivas para a educação, que não oscilassem conforme o interesse do governo ou da situação financeira da época.

III - Os renovadores, preocupados com a qualidade do ensino, defenderam o monopólio da educação pelo Estado, para garantir uma formação consistente para todos os cidadãos, independente da classe social, religião ou gênero.

IV - A educação no Manifesto assumiu uma verdadeira função social. Os renovadores defenderam que a educação deveria possibilitar as mesmas oportunidades a todos, independente do grupo social. Assim, seria possível formar uma “hierarquia democrática” pela “hierarquia das capacidades”.

Pode-se afirmar que está correto o que se diz nos itens:

(a) I, II, III e IV;

(b) I e II;

(c) I, II e III;

(d) I, II e IV;

(e) III e IV.

3. (Rio de Janeiro, 1997) No contexto do início dos anos 30, a luta ideológica travada em torno da educação demarcou duas posições distintas entre os educadores. O grupo ligado à Associação Brasileira de Educação (AEB), movimento renovador que defendia a laicidade do ensino, a institucionalização da escola pública e a co-educação elaborou um documento, publicado em 1932, denominado como Manifesto:

(a) do Pau-Brasil.

(b) da Educação Nova.

(c) ao Povo e ao Governo.

(d) da Educação Renovadora.


4. No contexto do final dos anos 50 e início dos anos 60, tornou impulso no Brasil entre outros, o movimento educacional por uma educação popular, dedicado principalmente a educação informal e a educação de jovens e adultos. No início de 1964 destacou-se nesse movimento a Campanha Nacional de Educação de Adultos, dirigida por:

(a) Paulo Freire;

(b) Anísio Teixeira;

(c) Lourenço Filho;

(d) Florestan Fernandes;

(e) Fernando de Azevedo.


5. (Estado, 2007) A organização dos sistemas nacionais de ensino data de meados do século XIX. Essa organização inspirou-se no princípio de que a Educação é:

A) um elemento de exercício da democracia

B) uma prática social de responsabilidade de toda a sociedade

C) uma prática social destinada a formar as elites

D) obrigação de todos e dever do estado

E) direito de todos e dever do estado


6. (Eletrobrás, 2006) São princípios da Escola Nova, sob os quais se desenvolveu toda a sua linha de ação educacional, exceto:

a) respeito à personalidade do educando.

b) a defesa do prioritário ao saber pensar e não ao saber fazer.

c) reconhecimento de que o educando precisa de liberdade.

d) a defesa de que o indivíduo deve ter uma base de educação comum.

e) a proposição de ser uma escola comunitária que se propunha por uma forma de vida e de trabalho em comum.



7. (Estado, 2007) O “Manifesto dos Pioneiros”, um marco da transformação da Educação Pública Brasileira, se opunha:

A) à visão tecnicista da Educação

B) à visão libertária da Educação

C) à visão transformadora da Educação

D) à visão tradicional da Educação

E) aos princípios da Escola Nova



8. (Pedro II, 2006) Muitos procedimentos pedagógicos que são praticados hoje, em nossas escolas, tiveram origem na Pedagogia Nova, corrente acolhida no Brasil desde os anos 30 do século XX, a respeito da qual são feitas as afirmativas que se seguem:

I – As escolas católicas, que tiveram uma forte influência na Educação Brasileira ao longo do século XX, rejeitaram a Pedagogia Nova.

II – O escolanovismo foi absorvido pelo educador Paulo Freire, no âmbito dos movimentos populares.

III – Durante os anos 60, versões mais cientificistas e psicologizantes do escolanovismo substituíram as idéias de base.

IV – A Pedagogia Tecnicista incorporou o escolanovismo com o apoio do regime militar que incentivou o aprofundamento dos movimentos da educação popular.

São corretas, apenas, as afirmativas:

a) I e II

b) I e IV

c) II e III

d) III e IV

e) I, II e III



9. (Pedro II, 2007) O movimento Escola Nova ganhou impulso no Brasil após a divulgação do documento denominado Manifesto da Escola Nova, que defendia:

A) a busca da liberdade como meio de superar as contradições do ensino tradicional.

B) a proposta de um ensino organizado por disciplinas.

C) a universalização da escola pública, laica e gratuita.

D) a preservação das classes populares do contato com a cultura dominante.



10. (Marataízes, 2007) A ditadura militar, sob o vácuo deslocado pela destruição das entidades que apoiavam os movimentos da educação popular, criou em 1967, um programa destinado à alfabetização em massa, denominado:

a) AI-5 (Alfabetização Integral);

b) UNE (União Nacional da Educação);

c) LDBEN (Lei de Diretrizes e Bases da Educação);

d) MOBRAL (Movimento Brasileiro de Alfabetização);

e) GTRU (Grupo de Trabalho da Reforma Universitária).


GABARITO: 1. B; 2. D; 3. B; 4. A; 5. E; 6. E; 7. D; 8. C; 9. C; 10. D.

OLHA QUE INTERESSANTE ACHEI NA NET!!!!!!

Preguicinha Oral

Uma das atividades que mais gosto na Alafabetização Natural é a Preguinha.

O seu processo é a leitura lenta, enunciando-se o som de cada letra à medida que vai sendo descoberto, procurando-se emendar cada som emitido ao seguinte, como na palavra original. Não deixando que fiquem isolados. Após o término, releitura em velocidade normal.

O objetivo dessa atividade e fazer o aluno compreender o processo analítico que está realizando. A preguicinha é uma análise estrutural. O todo significado da palavra permanece inteiro, não é destruído, seu significado não é despedaçado em partes menores, sem conteúdo ideativo. O aluno aprende a descobrir o valor sonoro de cada letra ou conjunto de letras, dentro do todo audiovisual da palavra inteira, sem isolá-las. Isto é a Preguinha!

Esta é uma atividade que faço diariamente, fora da sala de aula. Algumas vezes em grupo e outras de forma individual.,sempre que vamos iniciar o estudo de uma letra ou em qualquer outra atividade que desperte a curiosidade de cada aluno a descobrir novas palavras e ampliar o seu vocabulário.

As crianças ADORAM!!!

Disponibilizo aqui algumas das inúmeras palavras que temos na sala de aula para realizar a atividade. Como mencionei acima, ela pode ser realizada com a turma toda, individualmente ou em grupos, como um jogo entre os alunos.


Os cartões são feitos de cartolina. O envelope de papel colorset. O envelope não posui segredo! É só cortar o papel, dobrá-lo e colá-lo. Não se esquecer de deixar as duas lateraias abertas para se puxar a palavra e guardá-la depois!

Passo a passo:





domingo, 2 de janeiro de 2011