Free CursorsMyspace LayoutsMyspace Comments
BLOG GRILO FALANTE: Junho 2010

quinta-feira, 24 de junho de 2010

PARA ENSINAR É PRECISO:

Para usar na Alfabetização



Alfabetização socioconstrutivista



Ler cuidadosamente antes de usar.


Uso pediátrico e adulto.


Composição:


Planejamento ................................................100 mg


Dedicação....................................................100 mg


Intervenção-mediação ........................................100 mg


Credibilidade................................................100 mg


Mobilização..................................................100 mg


Diversidade de textos .......................................100 mg


Amor ........................................................100 mg


Informação ao professor


O processo de alfabetização precisa ser reconstruído. Para isso, devemos


estudar muito e contar com teorias que embasem, que orientem o


nosso trabalho. Aprendemos construindo e, para construir, temos que


pensar.O professor deve ser mediador e saber como a criança aprende.


É importante o trabalho em grupo. Caso surjam dúvidas desagradáveis


durante a alfabetização, aconselha-se estudar mais e planejar melhor,


selecionando novas atividades que favoreçam uma alfabetização eficiente.

Indicações:

É indicada a todas as crianças, sem distinção de idade, cor, raça, religião


ou classe social, e a jovens e adultos que ainda não tenham feito uso


do medicamento.

Contra-indicações:


Não tem.


Precauções:


O trabalho deve estar centrado nos textos. É fundamental trabalhar


com textos diversificados. Mas esse trabalho, para ser eficaz, depende da


intervenção que o professor vai fazer.


Reações Adversas:

Professores que não acreditam na capacidade da criança de aprender e


não acreditam que ela aprende construindo seu conhecimento devem ser


advertidos da possibilidade de a criança não se alfabetizar com sua ajuda.


Posologia:


Textos diversificados, atividades de acordo com o nível de aprendizagem


que a criança se encontra, num total de pelo menos quatro horas


diárias. Advertimos que quando as atividades não são administradas


em conformidade com as doses preconizadas e não são mediadas


corretamente pelo professor, não se promove alfabetização significativa.



Uso sob prescrição pedagógica.
Responsável técnica: Professora Ligia F. Jacomini Machado

Mandaguari – Paraná – Brasil

MURAL: TRABALHANDO O MEIO AMBIENTE


ACHEI ESSA NOVIDADE NO BLOG DA AMIGA SUZETTE DE PAULA (http://suzettepaula.blogspot.com/)

sábado, 19 de junho de 2010

APRENDENDO COM OS JOGOS

Boliche das Vogais ou do Alfabeto



Objetivo:Aprender, identificar e conhecer as vogais, socialização, entretenimento, aprender regras e limites, agilidade, movimento, coordenação motora, noção de espaço.

MODO DE CONFECCIONAR: você vai precisar de garrafas peti vazias, papel sulfite, fita adesiva e pincel atômico de varias cores.

- Corte a folha de papel sulfite ao meio na horizontal e escreva bem grande uma vogal;

- Cole com a fita adesiva no meio da garrafa peti, o papel que você escreveu a vogal, pode se escrever duas vogais por garrafas e assim sucessivamente.

- Para suas boliches ficarem lindas, uma dica é enfeita-las com adesivos de papeis de presentes, com florzinhas de EVA, com estrelinhas, bolinhas, etc, também fazer uma margem com a régua na folha de papel antes de colar na garrafa, assim o jogo fica mais elaborado e caprichado.

- Confeccione uma bolinha de meia ou de jornal amassado envolto com fita adesiva para lançar nos boliches ou da própria garrafa peti unindo dois fundos com fita adesiva.

- AS REGRAS: você pode dividir a sala em dois grupos de crianças, cada um tem sua vez para lançar a bola nos boliches. Cada boliche que derrubar deverá ler as vogais corretamente e assim marcará ponto para sua equipe, você também pode criar sua própria regra, lembrando que é um jogo muito barato e eficaz podendo ser jogado todos os dias no inicio ou no final das aulas. As crianças adoram.

IMPORTANTE: utilizar a mesma maneira para aprender o alfabeto, silabas, números, etc.

NOVAS IDÉIAS

ROTINA NA AULA SOCIOCONSTRUTIVISTA


1. Leitura compartilhada


- O professor lê todos os dias para os alunos, vários tipos de textos como: notícias, contos, poesias, histórias, fábulas, etc.


Lê por prazer, sem cobrar atividades nenhuma após esta leitura.


Objetivos: Professor enquanto modelo de leitor. Desenvolver no aluno o prazer pela leitura.






2. Roda de conversa


- Professor e alunos conversam sobre assuntos variados.


Objetivos: Desenvolver no aluno a competência/oralidade. Falar o que pensa em grupos diversos, ouvir e respeitar as falas e pensamento de outras pessoas, dialogando, trocando, sendo crítico, etc.


Pode-se propor ao final o registro num texto coletivo do assunto debatido. O texto deve ser curto ( de preferência um parágrafo).


Sugestão: Criar caixas na sala com temas variados e neste momento, um destes temas, uma notícia, por exemplo, é sorteada.






3. Agenda


- Atividade de cópia de texto com função social na língua (letramento)


Objetivos: Desenvolver técnicas de escrita (escrever da esquerda para a direita na linha, com capricho, etc.), além de registro diário das atividades realizadas durante a aula para acompanhamento dos pais.






4. Atividades de leitura


- Esta atividade e imprescindível para a alfabetização. Todos os dias os alunos deverão desenvolvê-la. Lembre-se o bom escritor é antes um bom leitor. Deve ser realizada preferencialmente com textos que já sejam do domínio dos alunos que ainda não sabem ler convencionalmente.


Objetivos: Ler quando ainda não sabe ler (convencionalmente). Ajustar o falado ao escrito. Desenvolver a leitura.


Atividades de leitura: Leitura de ajuste, localizar palavras no texto (iniciar com substantivos) Ordenação de textos (frases, palavras), palavras cruzadas, caça. - palavras, adivinhas, localização de palavras nos textos, roda de leitura, roda de poesia, empréstimo de livros, projetos de leitura, etc.


É fundamental que intervenções tais como o trabalho com a letra inicial e final das palavras sejam feitas constantemente.






5. Atividades de escrita


- Só se aprende ler, lendo e só se aprende a escrever, escrevendo. Copia é uma coisa, produção de escrita é outra. Na atividade de escrita, a criança escreve do jeito que ela sabe (hipótese de escrita) e o professor faz intervenções necessárias em relação à escrita, direto com o aluno.


Objetivos: Avançar na reflexão da Língua. Resolver a letra a ser usada (qualidade de letra), quantas letras usar (quantidade de letras), escrever textos com sentido (inicio, meio e fim), revisar ortografia e gramática, etc.


Atividades de escrita: Propor atividades de escrita com o alfabeto móvel completar textos (lacunas no início ou no final da frase), produção escrita de textos individuais e coletivos (listas, histórias, contos, etc.), reescrita de texto que se sabe de cor, revisão de textos, palavras cruzadas (sem banco de palavras), etc.






6. Atividade móvel


- Este espaço é para que cada professor trabalhe de acordo com sua turma, jogos matemáticos, sala de leitura; Ciências, Estudos Sociais, Recreação e Artes.


É importante lembrar que nosso dia-a-dia escola, devemos estar desenvolvendo atividades de caráter interdisciplinar e transdisciplinar.






7. Atividade de casa


- A atividade de casa é alvo de dúvidas e críticas por parte dos pais e dos professores (ou porque não tem "dever de casa" ou porque tem “dever de casa” demais ou porque “os alunos não fazem o dever”, etc.). O ideal é que a atividade de casa, planejada com antecedência, seja um desafio interessante, difícil, mas possível, que o aluno possa resolver sozinho.


Objetivo: Criar o hábito de estudar fora da escola, desenvolver a autonomia e a auto-aprendizagem.


Atividades de casa - Cruzadinha, caça-palavras, empréstimo de livros (6◦ feira trazer na 2◦ feira), leitura de textos e posterior ilustração, coletar rótulos, ler algo interessante e trazer para sala de aula, coletar materiais de sucata, observar fenômenos da natureza para posterior relato, pesquisas orais e escritas, etc.
 
*ESTA IDÉIA DE ROTINA PERTENCE A COLEGA ELDA FLÁVIA, E FOI COMPARTILHADA PELA COMUNIDADE ANDRÉA DEDEANA.

CONCURSO PARA PROFESSORES DO MUNICÍPIO DO RIO PARA 2011.

Nesta semana o Ministério da Educação – MEC – divulgou que será realizado concurso público para o provimento de Professores de Educação Infantil e Fundamental – séries iniciais. A oportunidade é destinada a candidatos com magistério normal, superior em pedagogia e licenciatura.

O concurso será organizado pelo INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, sendo também de sua responsabilidade a definição dos prazos de inscrição e divulgação dos processos de seleção.
As provas, além de selecionar os candidatos, também servirão como um medidor dos níveis de qualificação dos profissionais da rede de ensino do país no intuito de buscar novas soluções para melhorar o sistema de ensino atual. Assim, segundo o MEC, a prova seguirá os moldes das avaliações do Enem, servindo como uma pontuação extra para futuras seleções.

Interessados devem acompanhar a publicação do edital no site do INEP até o final desta semana.







quarta-feira, 16 de junho de 2010

LEGISLAÇÃO EDUCACIONAL

Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional


Lei de Diretrizes e Bases da Educação Instituída pela Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, promove a descentralização e a autonomia para as escolas e universidades, além de instituir um processo regular de avaliação do ensino. Ainda em seu texto, a LDB promove autonomia aos sistemas de ensino e a valorização do magistério.


Lei n.º 9.475, de 22 de julho de 1997.


Lei nº 9.536, de 11 de dezembro de 1997 - Regulamenta o parágrafo único do art. 49 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996


Lei nº 9.131 de 24 de novembro de 1995 - Altera dispositivos da Lei nº 4.024, de 20 de dezembro de 1961, e dá outras providências


Lei nº 9.192 de 21 de dezembro de 1995 - Altera dispositivos da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968, que regulamentam o processo de escolha dos dirigentes universitários.


Sobre a Lei de Diretrizes e Bases - A opinião da APEOESP - Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo.


O joio e o trigo na nova LDBEN - A nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, analisada pelo SINDUTE - Sindicato da Educação.

Nova LDB: uma avaliação necessária- APEOESP.


A Nova Lei de Diretrizes e Bases da Educação - Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional.


Educação Fundamental


Fundef - Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério


Ensino Médio


Lei nº. 9.394/96, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB).



Educação Profissional


Legislação da Educação Profissional Página da Divisão de Educação e Tecnologia do SENAI, apresenta texto sobre Educação Profissional e disponibilizao Glossário da Educação Profissional e a Lei de Diretrizes e Bases da Educação.


Educação Profissional - Regulamentação da Educação Profissional - Apresenta as portarias e decretos que regulamentam o funcionamento da Educação Profissional.


Decreto n.º 2.208, de 17 de abril de 1997. Regulamentação da Educação Profissional:


Portaria n.º 646, de 14 de maio de 1997. Regulamentação do disposto nos artigos 39 a 42 da LDB e no Decreto nº 2.208/97 e outras providências:

PORTARIA Nº 646, de 14 de maio de 1997 Regulamenta o Plano de Implantação da reforma da educação profissional.


Resolução No. 126, de 23 de outubro de 1996 Aprova critérios para a utilização de recursos para o Fundo de Amparo ao Trabalhador - FAT, pela Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional - SEFOR, com vistas a execução de ações de qualificação e requalificação profissional, no âmbito do Programa do Seguro-Desemprego, no período de 1997/1998.

Resolução No. 96, de 18 de outubro de 1995 Atribui a execução, a coordenação programática e a supervisão das ações de qualificação profissional a Secretaria de Formação e Desenvolvimento Profissional - SEFOR.


Educação Especial




Declaração de Salamanca - Estrutura de Ação em Educação Especial, adotada pela Conferência Mundial em Educação Especial organizada pelo governo da Espanha, em cooperação com a UNESCO, realizada em Salamanca entre 7 e 10 de junho de 1994.

Educação Superior


Estatutos e Regimentos das IES - Adaptação à LDB


Regulamentação da Educação Superior - Educação Superior Apresenta as portarias, decretos e editais que regulamentam o funcionamento da Educação Superior no Brasil.



Legislação sobre Ensino Superior Banco de dados do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (CRUB) sobre legislação da educação superior: Leis, Decretos, Portarias, Resoluções e Pareceres.

Educação a distância

Decreto n.º 2.494, de 10 de fevereiro de 1998. Regulamenta o Art. 80 da LDB (Lei n.º 9.394/96):


Decreto n.º 2.561, de 27de abril de 1998. Altera a redação dos artigos 11 e 12 do Decreto n.º 2.494:



Portaria n.º 301, de 7 de abril de 1998. Normatiza os procedimentos de credenciamento de instituições para a oferta de cursos de graduação e educação profissional tecnológica a distância:


Base Legal - Proformação


Educação




Declaração Mundial sobre Educação para Todos - Plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Elaborado pelos participantes da Conferência Mundial sobre Educação para Todos, reunidos em Jomtien, Tailândia, de 5 a 9 de março de 1990.


A cidadania chega à escola brasileira - Sobre os PCNs - Parâmetros Curriculares Nacionais, um ponto de referência para uma profunda modificação no modelo pedagógico brasileiro, começando pelo resgate da Ética e Convívio Social, a partir da própria escola.


Educação informal: um recurso para a criança trabalhadora - Sobre programas que refletem esforços crescentes por parte dos governos, para garantir educação primária para as crianças trabalhadoras.


A Educação no Brasil - Apresentação do governo brasileiro: breve histórico, O sistema de educação no Brasil. Metas atuais e perspectivas futuras da educação no Brasil.


Lei dos Direitos Autorais - Texto integral da nova Lei dos Direitos Autorais, que altera, atualiza e consolida a legislação sobre direitos do autor, sancionada em 19 de fevereiro de 1998.


Política Nacional de Educação Infantil Documento do MEC de 1993 propondo as diretrizes gerais para uma Política de Educação Infantil, bem como as açõesque o Ministério coordena relativas a esse seguimento educacional.

Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério.A Lei no. 9.424, de 24 de dezembro de 1996, que cria o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério.


Guia do Livro Didático - 1a. a 4a. séries Produto do processo de avaliação do livro didático conduzido por professores especialistas nas áreas de Língua Portuguesa, Matemática, Ciências e Estudos Sociais. Essa iniciativa do Ministério da Educação e do Desporto (MEC) tem como objetivo o aperfeiçoamento do Livro Didático e o apoio para professores e alunos na escolha do livro.




MERCOSUL


MERCOSUL/CMC/DEC no. 04/94 A página apresenta a Decisão No.04/94 do CMC que aprova o Protocolo de Integração Educativa e Reconhecimento de Certificados, Títulos e Estudos de Nível Primário e Médio não Técnico.


MERCOSUL/CMC/DEC no. 07/91 O site apresenta a Decisão No.07/91 do CMC. Dispõe sobre a criação de Reuniões de Ministros de Educação.

MERCOSUL/CMC/DEC no. 07/92 A página apresenta a Decisão No.07/92 do CMC que aprova o Plano Trienal para o Setor Educação no Contexto do Mercosul;










(E-mail: clube@clubedoprofessor.com.br 1997 - 2004 Todos os direitor reservado)

terça-feira, 15 de junho de 2010

DATAS COMEMORATIVAS.

Janeiro


01 Dia Mundial da Paz

06 Dia de Reis

08 Dia do Fotógrafo

09 Dia do Astronauta

15 Dia do Compositor

20 Dia do Farmacêutico

24 Dia dos Aposentados

25 Aniversário de São Paulo

25 Dia do Carteiro

30 Dia do Mágico

Fevereiro

10 Dia do Atleta

11 Dia da Criação da Casa da Moeda

14 Dia da Amizade

16 Dia do Repórter

19 Dia do Esportista

24 Dia da Promulgação da Primeira Constituição

27 Dia do Livro Didático

27 Dia do Idoso

Março

08 Dia Internacional da Mulher

10 Dia do Telefone

14 Dia da Poesia

15 Dia da Escola

19 Dia do Artesão

20 Outono

22 Dia Internacional da Água

23 Dia do Meteorologista

26 Dia do Cacau

27 Dia do Circo

Abril

01 Dia da Mentira

02 Dia do Propagandista

07 Dia Mundial da Saúde

07 Dia do Jornalismo

08 Dia Mundial de Combate ao Cancer

08 Dia da Natação

08 Dia do Correio

10 Dia da Engenharia

13 Dia dos Jovens

13 Dia do Office-Boy

14 Dia Pan-Americano

18 Dia Nacional do Livro Infantil

18 Dia de Monteiro Lobato

19 Dia do Índio

19 Dia do Exército Brasileiro

21 Dia da Polícia Civil

21 Tiradentes

21 Dia do Metalúrgico

22 Descobrimento do Brasil

22 Dia da Terra

23 Dia de São Jorge

24 Dia Internacional do Jovem Trabalhador

25 Dia do Contabilista

26 Dia do Goleiro

26 Dia da Primeira Missa no Brasil

27 Dia da Empregada Doméstica

27 Dia do Sacerdote

28 Dia da Sogra

28 Dia da Educação

30 Dia do Ferroviário

Maio

01 Dia do Trabalho

02 Dia Nacional do Ex-Combatente

03 Dia do Sol

03 Dia do Taquígrafo

05 Dia do Pintor

05 Dia Nacional das Comunicações

06 Dia do Cartógrafo

07 Dia do Oftalmologista

07 Dia do Silêncio

08 Dia Internacional da Cruz Vermelha

08 Dia do Artista Plástico

09 Dia das Mães

10 Dia do Guia de Turismo

10 Dia da Cavalaria

10 Dia do Campo

12 Dia Mundial da Enfermeira

13 Abolição da Escravatura

13 Dia do Automóvel

14 Dia do Seguro

15 Dia da Assistência Social

15 Dia do Gerente de Banco

16 Dia do Gari

16 Dia do Faxineiro

17 Dia Internacional das Telecomunicações

18 Dia dos Vidreiros

18 Dia Mundial dos Museus

22 Dia do Apicultor

24 Dia Nacional do Café

24 Dia do Vestibulando

24 Dia do Preso

24 Dia da Infantaria

25 Dia do Massagista

25 Dia da Indústria

25 Dia do Trabalhador Rural

27 Dia do Profissional Liberal

29 Dia do Geógrafo

29 Dia do Policial

29 Dia do Estatístico

30 Dia do Comissário de Bordo

30 Dia do Geólogo

30 Dia do Decorador

Junho


01 Dia da Imprensa

05 Dia Mundial do Meio Ambiente

07 Dia da Liberdade de Imprensa

08 Dia das Empresas Gráficas

08 Dia do Citricultor

09 Dia do Porteiro

09 Dia de Anchieta

09 Dia do Tenista

10 Dia Internacional da Liberdade de Imprensa

11 Batalha Naval de Riachuelo

11 Dia da Marinha Brasileira

11 Dia do Educador Sanitário

12 Dia dos Namorados

13 Dia do Turista

13 Dia de Santo Antônio

14 Dia do Solista

15 Dia do Paleontólogo

17 Dia do Funcionário Público Aposentado

18 Dia do Químico

20 Dia do Revendedor

21 Início do Inverno

21 Dia da Mídia

21 Dia do Intelectual

24 Dia do Caboclo

24 Dia de São João

24 Dia do Mel

26 Dia do Professor de Educação Física

29 Dia do Pescador

29 Dia da Telefonista

29 Dia de São Pedro

30 Dia do Caminhoneiro

Julho

02 Dia do Bombeiro

02 Dia do Hospital

04 Dia Internacional do Cooperativismo

08 Dia do Padeiro

10 Dia da Pizza

11 Dia do Mestre da Banda

12 Dia do Engenheiro Florestal

13 Dia do Engenheiro de Saneamento

13 Dia Mundial do Rock

16 Dia do Comerciante

17 Dia da Liberdade de Pensamento

17 Dia do Protetor de Florestas

18 Dia do Trovador

19 Dia da Caridade

19 Dia Nacional do Futebol

20 Dia do Amigo

23 Dia do Guarda Rodoviário

25 Dia do Colono

25 Dia do Motorista

25 Dia do Escritor

26 Dia da Vovó

26 Dia do Detetive Particular

27 Dia do Despachante

27 Dia do Motociclista

28 Dia do Agricultor

Agosto

01 Dia Nacional do Selo

03 Dia do Tintureiro

04 Dia do Padre

05 Dia Nacional da Saúde

08 Dia dos Bandeirantes

08 Dia dos Pais

10 Dia da Enfermeira

11 Dia do Garçom

11 Dia da Televisão

11 Dia do Advogado

11 Dia do Estudante

12 Dia Nacional das Artes

13 Dia do Economista

13 Dia do Encarcerado

14 Dia do Combate à Poluição

15 Dia da Informática

15 Dia do Solteiro

17 Dia do Patrimônio Histórico

19 Dia do Artista de Teatro

19 Dia Mundial da Fotografia

21 Dia da Habilitação

22 Dia do Folclore

24 Dia do Artista

25 Dia do Feirante

25 Dia do Soldado

27 Dia do Corretor de Imóveis

27 Dia Nacional do Psicólogo

28 Dia da Avicultura

28 Dia do Bancário

29 Dia Nacional do Combate ao Fumo

31 Dia do Nutricionista

Setembro

02 Dia do Repórter Fotográfico

03 Dia do Biólogo

05 Dia da Amazônia

05 Dia do Oficial da Farmácia

05 Dia da Juventude

06 Dia do Barbeiro

06 Dia do Alfaiate

07 Dia da Independência do Brasil

08 Dia da Alfabetização

09 Dia do Administrador

09 Dia do Veterinário

13 Dia do Agrônomo

14 Dia do Frevo

17 Dia da Compreensão Mundial

18 Dia dos Símbolos Nacionais

19 Dia do Comprador

19 Dia do Teatro

20 Dia do Pombo da Paz

20 Dia do Funcionário Municipal

21 Dia do Radialista

21 Dia do Fazendeiro

21 Dia da Árvore

21 Dia do Idoso

22 Dia da Banana

23 Dia do Soldador

23 Início da Primavera

25 Dia da Tia Solteirona

25 Dia do Trânsito

27 Dia do Cantor

27 Dia do Encanador

29 Dia do Anunciante

30 Dia da Secretária

30 Dia Mundial do Tradutor

Outubro

01 Dia do Vendedor

02 Dia do Anjo da Guarda

03 Dia do Dentista

04 Dia Mundial dos Animais

05 Dia da Natureza

09 Dia do Atletismo

11 Dia do Deficiente Físico

12 Dia das Crianças

14 Dia Nacional da Pecuária

15 Dia do Professor

16 Dia da Alimentação

17 Dia do Eletricista

18 Dia do Médico

20 Dia do Poeta

22 Dia do Paraquedista

23 Dia do Aviador

25 Dia da Democracia

28 Dia do Funcionário Público

29 Dia Nacional do Livro

31 Dia das Bruxas

Novembro

04 Dia do Inventor

05 Dia da Ciência

08 Dia Mundial do Urbanismo

10 Dia do Trigo

11 Dia do Supermercado

14 Dia da Alfabetização

15 Proclamação da República

17 Dia da Criatividade

19 Dia da Bandeira

20 Dia da Consciência Negra

22 Dia do Músico

23 Dia Internacional do Livro

25 Dia do Doador de Sangue

29 Dia do Café

Dezembro

01 Dia do Imigrante

02 Dia do Samba

04 Dia da Propaganda

08 Dia da Família

09 Dia do Fonoaudiólogo

10 Dia do Palhaço

11 Dia do Engenheiro

13 Dia do Marinheiro

15 Dia do Jardineiro

16 Dia do Reservista

18 Dia do Museólogo

21 Dia do Atleta

23 Dia do Vizinho

25 Natal

26 Dia da Lembrança

28 Dia do Salva-Vidas

31 Ano Novo

domingo, 13 de junho de 2010

MUSIQUINHA PARA ENSINAR O ACENTO GRAVE (CRASE)

ACENTO GRAVE OU CRASE (`)

Cara a cara



não tem crase


isto é fácil de guardar


com palavra repetida


não se deve “crasear”


Não se deve usar a crase


em casos especiais


com palavras masculinas


ou pronomes pessoais


Dona, senhora, senhorita


fazem caso genial


assanhadas vem e aceitam


o artigo é fatal


Nome próprio masculino


uma crase aceitará


se com moda ou maneira


antes eu puder falar


Casa própria, a do falante


me rejeita o artigo


e se isso acontece


“crasear” eu não consigo


Se há um complemento


e é nominal


é só ter o feminino


e praticar normal


Objeto, indireto


faz um caso decisivo


se ainda vem trazendo


qualquer termo feminino


E então? Vamos cantarolar o emprego da crase



UMA NOVA FORMA DE ENSINAR AS VOGAIS!!!!

*** O_LIVRO_FALANTE ***






Todo belo e ilustrado, garboso e interessante,


o Letrinhas Amigas é um livro


que também era falante.


Encapado e bem cuidado, não tinha nem mesmo um borrão,


o seu dono chamava-se Pinguinho e o tratava com amor e dedicação.


Pinguinho e Letrinhas eram amigos de coração,


e Pinguinho, dele muito se orgulhava pois tudo que ele sabia,


o Letrinhas lhe ensinava.


Onde quer que ele fosse, era grande a emoção


pois todas as crianças queriam ver


o livrinho amigo falante, que lhes ensinava a ler.


Pinguinho e Letrinhas Amigas, era tão lindo de se ver


aquele amor tão bonito que ajudava e fazia o Pinguinho crescer.


Suas letrinhas falantes, suas figuras coloridas,


e eles dois conversavam, como é bonita a vida!


Um dia, depois da escola antes de Pinguinho deitar ,


Letrinhas pediu-lhe que ouvisse a história que ia contar,


e Pinguinho, muito atento parou para escutar.


Era uma vez ,uma escola cheia de livros coloridos ,


mas viviam encostados pois ninguém era seus amigos.


As crianças não os amavam, os riscavam e maltratavam,


eram mal cuidados e sujos,


por isso, viviam calados dentro do seu próprio mundo,


e de tanto não serem amados, os livrinhos ficaram mudos.


Mas, quando foi um belo dia, sem as crianças perceberem,


receberam a visita honrosa da Fadinha do Saber.


E, juntando a criançada ela os fez perceber, que seus livrinhos calados


do seu amor precisavam para poderem viver.


Lhes disse ,que todo livro é cheio de coisas interessantes,


mas precisam ser amados prá poderem ser falantes.


Desse dia em diante, as crianças passaram a amar os seus livrinhos,


e descobriram contentes, que eram iguais aos do Pinguinho!


E fizeram uma grande festa, onde todas as crianças foram convidadas


e o Letrinhas e Pinguinho foram apadrinhados.


As cortinas do palco se abriram, que cena linda e emocionante,


uma fila enorme de livros desfilando bem galantes,


cada um trazia um cartaz colorido


e o Letrinhas à frente com um sorriso bem contente.


Em cada cartaz ,tinha escrito com letrinhas dançantes :


" CIANÇAS AMEM SEU LIVROS, POIS TODOS NÓS SOMOS FALANTES ! "






II PARTE DA HISTORINHA
E a cortina do palco fechou, todos aguardavam ansiosos a segunda parte


pois era a vez dos livrinhos falantes, mostrarem a sua arte.


Formando todas as vogais cada livro sua letrinha ensinava,


enquanto as crianças alegres repetiam o que os livrinhos falavam,


era hora de emoção, chegou a hora da apresentação,


e a letrinha A, foi a primeira à entrar.


" EU SOU A VOGAL A,


SOU IMPORTANTE DE VERDADE


COM ELA VOCÊS ESCREVEM


O AMOR E A AMIZADE. "


" EU SOU A VOGALZINHA E


SOU UMA LINDA LETRINHA


E NA HORA DO SEU LANCHE


ESTOU NA SUA EMPADINHA ."


"EU SOU A VOGAL I


SOU O I DE INDIOZINHO


QUE SABE ATIRAR SUA FLECHA


E VIVE TODO PINTADINHO. "




" E EU SOU A VOGAL O


SOU REDONDA E TENHO PERNINHAS


COMO O ÓCULOS DA VOVÓ. "



" EU SOU A ÚLTIMA VOGAL


SOU A LETRINHA U


COM ELA SE ESCREVE UVA


E SE É VERDE OU VERMELHINHA


É TUDO UMA GOSTOSURA. "




Aplausos enchiam de festa a escola, a festinha terminou,


e os livrinhos deram as mãos , agradeceram os aplausos


e saíram do palco chorando de alegria e emoção.












Autora: Socorrinha Castro / florzinh@

Salvador - Ba 02/04/06

terça-feira, 8 de junho de 2010

ACENTO AGUDO E CICUNFLEXO



(FONTE:http://alessandramiotto.blogspot.com/2009/06/cartazes-acento-agudo-e-circunflexo.html)

A epopéia de Acento Agudo e Crase

Era uma vez um casal. Os nomes eram Acento Agudo e Crase. Conheceram-se ainda no berçário. Seus pais eram amigos, e Acento Agudo e Crase passaram a infância brincando juntos. Acento Agudo sempre foi mais popular, era mais procurado por todos. Crase, ao contrário, era uma guria feia e esquisita, que prefeira recolher-se enquanto os outros iam visitar outras palavras. Mesmo assim, os dois tornaram-se próximos. Passaram cada vez mais a brincar juntos, às vezes na palavra de um, às vezes na de outro. Nas brincadeiras como na escola, Crase vinha geralmente antes de Acento Agudo. Quando este estava em uma palavra, aquela ainda estava na anterior.


Na escola, tiveram grandes professores, como Mário Quintana, ainda que outros orientadores, como Caio Fernando Abreu, os tivessem desestimulado tanto. Seus colegas eram muito heterogêneos. Vírgula, por exemplo, estava sempre pra baixo, enquanto que um outro colega, apelidado de "Tio", parecia estar sempre com um sorriso irônico nos lábios. Ponto de Exclamação, repetende algumas vezes, gritava a aula inteira, ao mesmo tempo em que seu irmão, Ponto de Interrogação, mostrava-se sempre muito interessado na matéria, pedindo explicações e mais explicações.


Quando terminaram os anos de escola, Acento Agudo e Crase tomaram rumos diferentes. Aconselhado por seu professor Clave de Sol, que muito elogiava sua capacidade como cantor, Acento Agudo foi fazer faculdade de música. Crase, por sua vez, decidiu-se por biblioteconomia. Não se cansava de repetir que era um dos únicos lugares onde era compreendida.


Os dois amigos não mais se viam, até que encontraram-se casualmente em um texto. Foram para um poema, tomar alguma coisa e ouvir música. E, como numa folha de rascunho, acabaram a noite um em cima do outro. Na empolgação, esqueceram-se dos parênteses. Assim, nove meses depois, nascia Acento Circunflexo.


Após o nascimento do filho, Acento Agudo e Crase passaram a desentenderem-se constantemente. Dizem as más línguas que estes desentendimentos eram causados por um amigo de Acento Agudo, considerado por todos como um sujeito desagragador, conhecido como Apóstrofo. A crise chegou ao ápice quando Acento Agudo e Crase foram cada um para um lado.


As suspeitas que sempre rondaram a vida de Acento Agudo, inspiradas em sua voz afeminada, acabaram por confirmarem-se, e ele engatou um namoro com Apóstrofo. Juntaram suas coisas e, com o avanço da ciência, tiveram filhas gêmeas. Sem criativadade, deram às duas o mesmo nome: Aspa.


Crase, por sua vez, vivia feliz sua vida de mãe solteira. Foi quando surgiu uma doença que dizimou famílias e destruiu amores e amizades definitivamente. Era um veneno que espalhou-se pelo planeta e ficou conhecido popularmente como "Internet". Quando cientistas descobriram que doses pequenas deste veneno poderiam, em alguns casos, servirem como antídoto, já era tarde demais. Pelo menos para Acento Agudo, Crase e companhia.






Delírio de Alexandre Haubrich às 12:21 AM

PLANO DE AULA DE SINAIS E PONTUAÇÕES:

PLANO DE AULA: SINAIS DE PONTUAÇÃO



TEMA: Brincando com os Sinais

TURMA: 3º do ensino fundamental


TEMPO: + ou -3 semanas


OBJETIVO GERAL: Mostrar para os alunos que os sinais de pontuação ou ortográficos são elementos necessários para construirmos frases e textos.


OJETIVO ESPECÍFICO: Fazer dinâmicas com os alunos de forma que eles aprendam de uma forma lúdica e contextualizada a utilizar corretamente os sinais de pontuação.


METODOLOGIA: Ilustrações, dinâmicas de grupo, textos, exercícios de pontuação.


1ªATIVIDADES: Iremos começar a aula com ilustrações pela sala com painéis dos 14 pontos + utilizados em nossa língua, dividiremos a turma em quatro grupos e montaremos uma dinâmica entre esses grupos para saber se todos conseguem interpretar e pontuar um pequeno texto que daremos sem pontuação alguma.

2ª ATIVIDADE: pesquisar a nova ortografia
3ªATIVIDADE: pesquisar em jornais e revistas palavras para montarmaos frases e pontua-las.


4ªATIVIDADES: montaremos um mural bem grande com as frases montadas na atividade anterior para expor para o conhecimento das outras turmas
 
AVALIAÇÃO: observaremos se a turma teve senso de colaboração entre os componentes de cada grupo, se conseguiram alcançar a meta de pontuar os texto corretamente e discutir quais foram às dificuldades dos grupos.

(Plano elaborado por roberta pereira alves)

SINAIS DE PONTUAÇÃO -

ALGUNS SINAIS DE PONTUAÇÃO EM FORMA  DE CARTAZES PARA SALA DE AULA.2º ANO







(Honras e méritos ao blog:http://conhecerensinareaprender.blogspot.com)

sábado, 5 de junho de 2010

DIA MUNDIAL DO MEIO AMBIENTE

ECA-ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE!!!

CAPÍTULO IV



DO DIREITO À EDUCAÇÃO,


À CULTURA, AO ESPORTE E AO LAZER


Art. 53. A criança e o adolescente têm direito à educação, visando


ao pleno desenvolvimento de sua pessoa, preparo para o exercício da


cidadania e qualificação para o trabalho, assegurando-se-lhes:


I - igualdade de condições para o acesso e permanência na


escola;


II - direito de ser respeitado por seus educadores;


III - direito de contestar critérios avaliativos, podendo recorrer


às instâncias escolares superiores;


IV - direito de organização e participação em entidades


estudantis;


V - acesso a escola pública e gratuita próxima de sua residência.


Parágrafo único. É direito dos pais ou responsáveis ter ciência


do processo pedagógico, bem como participar da definição das


propostas educacionais.


Art. 54. É dever do Estado assegurar à criança e ao adolescente:


I - ensino fundamental, obrigatório e gratuito, inclusive para os


que a ele não tiveram acesso na idade própria;


II - progressiva extensão da obrigatoriedade e gratuidade ao


ensino médio;


III - atendimento educacional especializado aos portadores de


deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino;


IV - atendimento em creche e pré-escola às crianças de zero a


seis anos de idade;


22 Câmara dos Deputados


V - acesso aos níveis mais elevados do ensino, da pesquisa e da


criação artística, segundo a capacidade de cada um;


VI - oferta de ensino noturno regular, adequado às condições do


adolescente trabalhador;


VII - atendimento no ensino fundamental, através de programas


suplementares de material didático-escolar, transporte, alimentação e


assistência à saúde.


§ 1o O acesso ao ensino obrigatório e gratuito é direito público


subjetivo.


§ 2o O não-oferecimento do ensino obrigatório pelo poder


público ou sua oferta irregular importa responsabilidade da autoridade


competente.


§ 3o Compete ao poder público recensear os educandos no


ensino fundamental, fazer-lhes a chamada e zelar, junto aos pais ou


responsável, pela freqüência à escola.


Art. 55. Os pais ou responsável têm a obrigação de matricular


seus filhos ou pupilos na rede regular de ensino.


Art. 56. Os dirigentes de estabelecimentos de ensino


fundamental comunicarão ao Conselho Tutelar os casos de:


I - maus-tratos envolvendo seus alunos;


II - reiteração de faltas injustificadas e de evasão escolar,


esgotados os recursos escolares;


III - elevados níveis de repetência.


Art. 57. O poder público estimulará pesquisas, experiências e


novas propostas relativas a calendário, seriação, currículo,


metodologia, didática e avaliação, com vistas à inserção de crianças e


adolescentes excluídos do ensino fundamental obrigatório.


Art. 58. No processo educacional respeitar-se-ão os valores


culturais, artísticos e históricos próprios do contexto social da criança


Estatuto da Criança e do Adolescente 23


e do adolescente, garantindo-se a estes a liberdade de criação e o


acesso às fontes de cultura.


Art. 59. Os municípios, com apoio dos estados e da União,


estimularão e facilitarão a destinação de recursos e espaços para


programações culturais, esportivas e de lazer voltadas para a infância


e a juventude.




“A questão principal é a de implementar o conteúdo que as leis apresenta. Não basta que os textos legais se mostrem avançados em suas formulações, o fundamental é que os avanços se apresentem em conquistas sociais”.

http://www.fundacaofia.com.br/ceats/eca_gibi/01.htm
http://redesocialsaopaulo.org.br/downloads/ECA.pdf