Free CursorsMyspace LayoutsMyspace Comments
BLOG GRILO FALANTE: Julho 2011

domingo, 31 de julho de 2011

Meu filho não quer voltar às aulas, e agora?


Resistir ao retorno pode ser só uma manha passageira ou indicar situações mais graves. Para cada caso, há uma recomendação

É hora de dar adeus aos dias de folga e voltar à rotina com aulas, tarefas de casa e trabalhos escolares. Algumas crianças estão com saudades dos colegas e das atividades, mas outras não podem nem ouvir falar em volta às aulas sem ter uma dor de barriga instantânea. Como os pais podem lidar com a criança que resiste a voltar das férias?

O primeiro passo é descobrir o que esta resistência quer dizer. "O 'não quero ir para a escola' pode ter vários sentidos", alerta a psicoterapeuta Ana Gabriela Andriani, doutora em Psicologia pela Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Pode ser apenas uma recusa natural e passageira à ideia de voltar a acordar cedo, ter menos tempo para brincadeiras e mais responsabilidades - do mesmo tipo que qualquer adulto sente ao terminar as férias e encarar a volta ao trabalho.

Outras vezes a resistência se apresenta mais constante, tendo aparecido inclusive antes das férias. Nesse caso, o motivo pode estar escondido em uma mudança na rotina escolar: troca de professora, de classe ou de escola ou até mesmo ameaças de bullying. "O diálogo com a escola é fundamental", define Ana Gabriela. Só assim os pais podem entender se a resistência à volta às aulas é só manha ou se esconde algum problema mais sério.

A pura e simples manha, aliás, também pode ser acolhida. Afinal, quem é que gosta, seja adulto ou criança, de voltar das férias? "Acolher a manha não significa permitir que a criança não volte para a escola", diz Ana. Basta conversar com a criança e explicar que esta preguiça é natural, que todos sentem, mas que nem por isso podemos ficar em casa para sempre.

João David Cavallazzi Mendonça, psicoterapeuta familiar, concorda. "Precisa dar à criança o direito de sentir preguiça e sentir vontade de nao acordar - embora isso não signifique em absoluto que ela vá poder dormir até tarde e faltar às aulas".
Agendas lotadas

Não querer voltar para a escola pode ser um alerta para um problema muito comum entre as crianças de hoje: o excesso de atividades extracurriculares impostas pelos pais. A garotinha que faz balé às terças e quintas, natação às quartas e sextas e piano às segundas e sábados certamente vai sentir muita falta de um mês em que teve tanta tempo livre - um verdadeiro artigo de luxo para ela.
Os pais se esquecem de que tempo livre, para uma criança, significa tempo para brincar. E brincar é essencial. "A brincadeira é fundamental para o desenvolvimento social, cognitivo, afetivo, da criatividade. A criança precisa de tempo para ser criança", ressalta a psicoterapeuta.

Dicas práticas:

Para que a transição da rotina seja o mais suave possível, João sugere que os pais estabeleçam uma mudança gradual. Se a criança está dormindo mais tarde e acordando mais tarde, que tal, alguns dias antes do retorno à escola, já colocá-la mais cedo na cama - e acordá-la mais cedo também? O ideal é aproximá-la ao máximo da rotina que volta em breve, tanto em horários de sono como nos de refeições.

Incluir a criança na preparação da volta às aulas é outra ideia. "Peça ajuda para lavar a mochila, preparar os uniformes, comprar o material de reposição", indica o psicoterapeuta. Vale também ler um trecho de um livrinho ou apostila que será solicitado no segundo semester - tudo para que seu filho vá se habituando com a presença destes elementos de volta ao seu dia a dia.












terça-feira, 26 de julho de 2011

COMENTEM !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!


Quantas vezes você visita um blog, lê um post interessante, a mão coça para comentar, mas sai sem deixar nenhum comentário? Eu confesso que faço isso diversas vezes nos blogs em que acompanho.

Assim como eu, sei que muitas das leitoras fazem a mesma coisa e isso é um hábito ruim. Tudo que um blogueiro quer, é um retorno sobre o que ele está escrevendo, mesmo que seja para crítica, sugestão ou só para trocar uma ideia.

E foi assim, que ontem no Twitter, conversando com algumas colegas blogueiras, surgiu a ideia de criar um movimento com a tag #movimentocomentemais e dessa tag surgiu este selo para identificar a campanha.

O movimento é para conscientizar todas nós (isso me inclui) da importância de deixar um comentário quando visitamos um blog, porque é através dos comentários que a interação acontece, as ideias surgem e com isso vamos melhorando o conteúdo, sempre!

Então quer fazer parte do movimento? Copie o selo se tiver um blog e se não tiver #comentemais!!!!


* Este post foi escrito em parceria com o blog @SacolaPhyna (se for blogueira e quiser aderir, pode copiar o post também)











segunda-feira, 18 de julho de 2011

ACHEI NA NET GOSTEI, POSTEI!!!!!!!!

http://www.professorefetivo.com.br/parceiros.html#
ESSE SITE É INTERESSANTÍSSIMO, POSSUI SIMULADOS DE PROVAS ON LINE, RESUMOS DE LIVROS,DATAS DE CONCURSOS ETC.cONFIRA!!!!!!!!!!!!!!!!!1

domingo, 3 de julho de 2011

PARTICIPEM!!!!!

Fórum sobre coordenação pedagógica


A pesquisadora Vera Maria Nigro de Souza Placco responde nesta página a dúvidas sobre coordenação pedagógica. Participe!

Vera Maria Nigro de Souza PlaccoMais sobre coordenação pedagógica

Edição especial

Os caminhos da coordenação pedagógica e da formação de professores

Pesquisa
Perfil dos coordenadores pedagógicos

Reportagem
Os caminhos para a formação de professores

Você sabe o que deve fazer o coordenador pedagógico? Quantos desses profissionais cada escola deve ter? O que ele deve saber para bem exercer a sua função? Uma grande pesquisa com o perfil e as práticas desse educador acaba de ser concluída pela Fundação Victor Civita.

Acesse o link da NOVA ESCOLA, leia as reportagens sobre o tema feitas pela equipe da revista GESTÃO ESCOLAR e tire suas dúvidas com a supervisora do estudo, Vera Maria Nigro de Souza Placco, uma das maiores especialistas nesse tema no Brasil. Professora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), ela responderá às perguntas de nossos leitores até o dia 15 de julho.