Free CursorsMyspace LayoutsMyspace Comments
BLOG GRILO FALANTE: 2012

sábado, 22 de setembro de 2012

Porque algumas crianças tem dificuldades em aprender????Dê sua opinião!!!!

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

DIFiCULDADES DE APRENDIZAGEM.wmv

Provas piagetianas Faça vc mesmo



(já apliquei essa provas e são muito interessante vale a pena conferir)

Piaget em sua teoria criou estágios de desenvolvimento cognitivo. Para diagnosticar problemas de conservação ocorridos nos estágios pré-operatorio e de operações concretas.
A teoria piagetina ressalta a importância de entender a qualidade de pensamento, os argumentos do sujeito ma tentativa de compreender as transformações da realidade.
Aqui temos 6 provas principais

Não-conservação
Quando é apresentada para a criança não-conservadora a primeira deformação da bolinha de massa de modelar, esta irá julga-la maior, mantendo este julgamento mesmo que o experimentador insista sobre a dimensão negligenciada pela criança (ex. salsicha mais fina, mas mais comprida).
O problema da “volta empírica” é resolvido corretamente ou não pela criança.
Intermediário
Oscila entre a conservação e não-conservação: numa mesma deformação a criança pode alternar seus julgamentos ora como iguais ou diferentes; faz julgamentos de conservação e não-conservação alternada nas diversas deformações; e pode apresentar alternância de julgamentos quando é contra-argumentada pelo entrevistador.
As justificativas da criança são pouco explícitas e incompletas.
O problema da “volta empírica” é resolvido corretamente pela criança.
Conservação
As quantidades são sempre julgadas iguais, usando o argumento de “identidade”, de “reversibilidade”, ou de “compensação”.
Os julgamentos de conservação se mantêm apesar das contra-argumentações.
LEMBRETE: Durante a aplicaçãio da prova deve haver sempre um momento de confronto, em que é feita a transformação da realidade na frente da criança. a fim de observamos de ela entendeu o processo de conservação de números, ou fica apenas no aspecto visual dos objetos.

Para o Kit
1. Faça uma caixa bem bonita, pode ser de papelão ou de madeira.
1. Conservação de números
Material: 11 circulos pequenos Vermelhos e 11 Círculos azuis (pode ser tampinha de garrafa, EVA, papelão...)

A criança recebera um saquinho com 22 fichas, explicamos a ela que as fichas estavam divididas em dois grupos, um grupo de ficha azuis e outro de ficha vermelha. não deixar explicita, em momento algum, a quantidade de ficha A criança deve, no decorre da aplicação da prova, contar a quantidade, se julgasse necessário.
Montar uma fileira horizontalmente com as fichas azuis e pedir a elas que montem uma fileira igual a nossa. Perguntar se há mais azuis ou mais vermelhas.
Confronto: A transformação será feita na frente da criança, ampliando o espaço entre as fichas azuis, perguntar novamente se hás mais fichas azuis ou mais fichas vermelhas.

2. conservação da Matéria
Material:
Massa de modelas de duas cores (Compre uma caixa de modelar, pois para essa prova, usou uma vez, não pode usar novamente, pela questão do visual)
A criança deve perceber que a mudança de formato do objeto não interfere na quantidade de matéria do qual ele é composto.
Apresentar uma caixa de massinha de modelar com seis unidades. Retirar da caixa e mostrar às crianças que todas eram do mesmo tamanho. Pegar uma massinha amarela e outra vermelha (ou outra cor) e fazer duas bolinhas iguais. Em seguida, perguntar à criança em qual das duas bolinhas elas acham que há mais massinha.
Confronto: Realizar a transformação, na frente das crianças: pegar a bolinha amarela e fazer no formato de bolinha. Perguntamos se há mais massinha na bolinha vermelha ou na cobrinha amarela.
Verificar se as crianças compreendem a prova de conservação da matéria, e as transformações ocorridas perante seus olhares, como acompanharão o processo de transformação.

3. Conservação de Área

Material: 2 pranchas verdes retangulares de 20x25cm (pode ser EVA, papelão pintão, papel cartão...), 8 quadrados vermelhos de 4x4 e 2 vaquinhas (EVA, cartolina, biscuit, de plástico...).

Colocar diante das crianças duas placas para representar pastos. Dar a elas duas vaquinhas do mesmo material. Explicar que elas devem colocar as vaquinhas nos pastos. Pegar dois quadrados exatamente do mesmo tamanho para representa a moita de capim que a vaquinha iria comer. Distribuir uma moita de capim em cada pasto. Perguntar em qual dos dois pastos há mais capim.
Confronto: Pegar mais dois quadrados do mesmo tamanho e distribuir da seguinte forma: no pastor da esquerda colocar as moitas lado a lado no sentido vertical e no pasto da direita as duas separadas horizontalmente. Perguntar em qual há mais capim.


4. Conservação de líquidos

Material: Copo de vidro (um copo transparente)

Pegar dois copos cilindrico do mesmo tamanho, pedir a criança que nos ajude a medir a quantidade de água, de forma que fiquem igual nos dois copos.
Depois de colar a água na mesma altura nos dois copos, perguntar em qual deles há mais água.
Confronto: Pegar um copo alto e fino, transportar agua de um dos copos iniciais para esse, em seguida interrogar em qual dos copos há mais água.
As crianças que responderem o copo alto e fino ainda não conseguiram estabelecer a equivalencia entre os líquidos dos recipientes, o raciocino foi baseado em aspectos visuais.

5. Seriação de palitos.

Material: conjunto de 10 palitos com tamanhos diferentes (palito de sorvete)

"A seriação consiste na capacidade de organizar mentalmente um conjunto de elementos em ordem crescente ou descrecente de tamanho, peso ou volume." (Wadsworthm 1996)

A criança recebera palitos de diferentes tamanhos, deverão arruma-los de menor para o maior como uma escadinha, todos juntos.

6. Inclusão de classe (esse é o mais dificil se vc errar uma parte vc acaba confundido a criança e não alcançado seu objetivo, tive essa experiência hihihi)

Material: 10 margaridas (EVA, desenho, papelão, papel cartão), 3 rosas, 10 coelhos

O material apresentado a criança consiste em um saquinho contendo varias flores e coelhos. Explicar que as flores estavam dividis em dois grupos: um de flores chamadas margaridas e outro de flores chamadas rosa. Colocamos cinco margaridas lado a lado e, na fileira abaixo, três rosas lado a lado. Indagamos: Há mais flores, mais rosas ou mais margaridas?
Depois da resposta, procure através de questiomaneto conhecer melhor o pensamento da criança.

A questão seguinte será apresentada desta forma: Se nos tirarmos uma rosa, ficaremos com menos flores, menos rosas ou menos margaridas?

Pegar os 10 coelhos que estavam dentro do squinho com as flores e colcar numa mesma fileira lado a lado, logo em abaixo das rosas. Formular uma nova questão: Há mais flores, mais roas, mais margaridas ou mais animais?

VocÊ vai avaliar a linha de pensamento da criança, por isso perguntar o porque da resposta.


Créditos do http://bloguinhovania.blogspot.com.br

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

"Qual escola que temos, qual escola que queremos"


Viviane Mosé - Ser ou não ser / Educação - 6º parte

sábado, 25 de agosto de 2012

ALFABETIZANDO - APRENDA CANTANDO - ALFABETO FACIL

Funk do Alfabeto - Pé de Vento

Projeto A Boca Mágica....


Agora, sua escola conta com uma nova ferramenta lúdica para desenvolver os projetos de leitura e saúde bucal. Baseado no livro infantil “A Boca Mágica”, o projeto consiste num roteiro de ações para envolver as crianças, despertar sua curiosidade, estimular a leitura e valorizar a higiene bucal. Essas ações englobam: artes cênicas (peça curta), atividade educativa (caixa mágica), oficinas (brinquedos de papel), kit de atividades, materiais de apoio (cartaz, convite para os pais, etc) e o contato dos alunos com o autor do livro. Todos esses recursos estarão disponíveis para que o professor possa construir o seu projeto pedagógico de acordo com as suas necessidades. É possível também ampliar o alcance, incluindo a família do aluno e a comunidade.
1) O Livro





1.1) Sinopse do livro

O livro conta que, há muito tempo atrás, os três primeiros dentes da terra, previram que um terrível vilão roubaria o sorriso de todas as crianças. Deixando o mundo eternamente triste. Somente um garoto, que tinha a boca encantada pelo Tridente Celeste, poderia mudar essa história: Lico. Além de combater Ácido X, ele deveria convencer todas as crianças que elas só seriam realmente felizes se sorrissem com os próprios dentes.
1.2) Tema principal

O livro aborda em seus assuntos principais, a literatura, como ator importante nas mudanças da sociedade, e a valorização da saúde bucal infantil.
1.3) Temas secundários
Outros temas que podem ser trabalhados são: o medo, a dor, a superação, o tempo, a sabedoria dos mais velhos, a força do coletivo na resolução dos problemas, partilhamento do conhecimento, conhecer o próprio corpo: boca e dentes, alimentação: a boca que alimenta o corpo e os alimentos que estragam os dentes.

2 – Projeto “A Boca Mágica na Escola”
2.1) – Visão geral das ações
  1. Convite para pais
  2. Cartaz – uma semana antes
  3. Apresentação teatral – 15 minutos
  4. Apresentação do autor
  5. Atividade lúdica – “Caixa mágica” 10 minutos
  6. Oficina – Brinquedos de papel – 30 minutos
  7. Fotos com os personagens – 10 minutos
  8. Entrega do kit atividades
  9. Entrega de livro autografado para a biblioteca da escola
  10. Publicação dos trabalhos realizados no blog do livro
2.2) Detalhamento das etapas
a) Convite




Serão fornecidos convites personalizados para que a escola possa enviar para os pais dos alunos.
b) Cartaz








Será fornecido um cartaz para ser fixado na entrada da escola. Sua função será criar expectativa e informar o dia e horário da apresentação.
c) Apresentação teatral




Dois atores interpretam 5 personagens (2 viajantes do tempo, Tridente Celeste, Ácido X e Lico) com 4 figurinos diferentes e a manipulação de um boneco, o Lico.
Aqui vamos apresentar uma pré-história. Não é a história do livro. A estratégia de contar essa história paralela é explorar a curiosidade das crianças e ao mesmo tempo introduzi-las no mundo “A Boca Mágica”, apresentado as características dos personagens. Isso proporcionará ao professor uma turma de alunos super motivada para que posteriormente, juntos, desvendarem as descobertas da leitura do livro em sala de aula.
d) Apresentação do autor e ilustrador do livro




e) Atividade lúdica – Abrindo a Boca Mágica




É apresentada uma caixa/boca cheia de “sujeira” nos dentes. Cria-se um suspense para saber o que tem dentro da “boca”. Para abrir a caixa, as crianças precisam “limpar os dentes da boca”. Para retirar cada sujeira é preciso responder uma pergunta sobre a história que foi contada. Dentro estão os personagens em formato de bonecos de papel, os quais serão construídos pelas crianças na oficina.
f) Oficina de brinquedos de papel




Nesta etapa os alunos vão colorir e montar os personagens da história em formato de bonecos tridimensionais. Esse bonecos também são conhecidos como papertoys ou papercrafts. Ao final as crianças ficam com o brinquedo de papel para levar para casa. Isso possibilita que os alunos possam recontar e criar outras histórias a partir interação com esses bonecos.
g) Entrega Kit de atividades: Um conjunto de sugestões e atividades para o professor desenvolver em sala de aula, junto à família dos alunos e à comunidade.
h) Entrega de livro autografado para a biblioteca da escola

i) Fotos com os personagens: Espaço para as crianças tirarem fotos com os personagens da história.




j) Publicação no blog: Este é o momento de interação e compartilhamento do conhecimento: a publicação dos trabalhos realizados pelos alunos.




3 – Sobre o autor e ilustrador Ailton Sobral
Formado em publicidade pelo Instituto Pentágono de Ensino, cursou desenho na Escola Panamericana de Artes. Atuou como diretor de arte e diretor de criação em agências de propaganda de São Paulo, criando anúncios para revista, filmes publicitários e ilustrações. No mercado editorial escreveu e ilustrou o livro infantil A Boca Mágica. Também é responsável pelo projeto gráfico da revista Comunicação Empresarial, do grupo Aberje.
Em publicidade foi premiado pela Associação Brasileira de Marketing Rural, pela criação da campanha Soja Syngenta.
No ano passado (2011), teve 2 ilustrações do livro A Boca Mágica selecionadas para o 19º Salão Internacional de Desenho, em Porto alegre.
Criou e mantém o blog do livro na internet www.abocamagica.com.br
Portfolio online: http://be.net/ailton
Página do livro no Facebook www.facebook.com/a.boca.magica
Fotos da nossa apresentação para os alunos do Colégio Maria Imaculada. Aqui.
4 – Informações
Contato: escolas@abocamagica.com.br

quinta-feira, 9 de agosto de 2012

OBRIGADA!!!

APOS MUITOS DIAS DE DOR, ESTOU DE VOLTA, OBRIGADA A TODAS AMIGAS BLOGUEIRAS QUE ME CONFORTARAM COM PALAVRAS DE AMIZADE.

PROJETO SACOLA VIAJANTE ( INCENTIVANDO A LEITURA)






ESTE PROJETO EU DOEI A TURMINHA DA MINHA FILHA QUE ESTÁ NO JARDIM III,PARA INCENTIVAR OS PEQUENOS E SUA FAMÍLIA A TEREM O HÁBITO DE LER.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

quinta-feira, 7 de junho de 2012

Atividades para orientar a prova prática da educação infantil!!!

Boquinha Musical * até 3 meses


Aposto que você não sabia que tinha uma máquina musical inteira escondida em sua boca! Seu bebê adora ouvir sons variados e sua boca é o instrumento necessário para compor uma perfeita sinfonia.

Materiais:

• Sua boca, sua língua, seus dentes e seus lábios

Habilidades trabalhadas:

Discriminação do som

Imitação de sons e desenvolvimento da linguagem

Localização dos sons

Modo de fazer:

1. Segure o bebê no colo, de frente para você, para que ele possa ver claramente seu rosto.

2. Comece fazendo sons com a sua boca, tais como,

Beijando e dando beijocas

Estalando sua língua

Fazendo sons ao mostrar a língua

Assoprando feito um barco a motor

Rosnando, emitindo guinchos, balbuciando, emitindo sons que imitam pássaros

Assobiando, cantando, zunindo

Fazendo sons que imitam animais, como, por exemplo, patos, cachorros, gatos, vacas, porcos, galinhas, galos, macacos, cobras, pássaros, burros ou lobos

Segurança: Se utilizar quaisquer instrumentos, certifique-se de que sejam seguros para que o bebê possa tentar usá-los. Não produza sons muito altos ou eles podem danificar o aparelho auditivo do seu bebê. Se um determinado som perturbar o bebê, não o repita novamente.



Rolando * até 3 meses

Um bebê precisa de meses para obter controle absoluto sobre os seus movimentos, mas você poderá ajudá-lo nessas primeiras semanas brincando de Rolando. Por volta dos 4 ou 6 meses, os bebês já conseguem girar sobre seus corpos.

Materiais:

• Cobertor ou toalha macia

• Superfície macia no chão
Habilidades trabalhadas:

Direção

Locomoção

Controle motor

Modo de fazer:

1. Coloque um cobertor ou uma toalha macia sobre uma superfície também macia.

2. Deite o bebê com a barriguinha para baixo sobre o cobertor.

3. Pegue um dos lados do cobertor e levante-o devagar, fazendo com que o bebê se incline para um dos lados.

4. Continue rolando suavemente o bebê e conversando com ele no processo. Use as suas mãos para apoiá-lo conforme ele se vira.

5. Quando o bebê tiver rolado completamente, mostre-lhe a sua alegria.

6. Repita até que o bebê se canse da brincadeira.

Segurança: Certifique-se de fazer movimentos lentos e de manter as mãos no bebê para que ele não role rápido demais e se machuque.



Conversa de Barriguinha * até 3 meses

Seu bebê começa a aprender a fala e a linguagem muito antes de pronunciar sua primeira palavra. Além de conversar com o seu bebê, tente também uma “Conversa de Barriguinha”. Esse tipo de conversa transforma a fala e a linguagem em experiências sensoriais.
Materiais:

• Sua boca

• Cobertor macio

Habilidades trabalhadas:

Conhecimento do corpo

Desenvolvimento da linguagem

Exploração motora e sensorial

Interação social
Modo de fazer:

1. Dispa o bebê (a fralda é opcional) e coloque-o sobre um cobertor, de barriga para cima

2. Ajoelhe-se ao lado dele, converse um pouquinho e gentilmente massageie sua barriguinha.

3. Agora é a hora da Conversa da Barriguinha. Pressione seu rosto e lábios sobre a barriguinha do bebê, fale, cante e recite algum versinho infantil, ou apenas crie algumas palavras engraçadas. Varie o tom e a altura de sua voz enquanto estiver falando.

4. Dê-lhe alguns beijinhos a cada vez que terminar uma palavra.

5. Sente e sorria para o bebê toda vez que terminar uma Conversa de Barriguinha. Seu bebê ficará sorrindo enquanto você brinca com ele e esperando pela próxima conversa.

Segurança: Não fale muito alto, o objetivo não é assustar o bebê. Se estiver brincando desse jogo com um bebê despido, lembre-se de ter uma fralda por perto, para o caso de uma emergência!

Sumiu! * até 3 meses

Considerando que o seu bebê é gente nova no planeta, ele gasta a maior parte do tempo tentando entender o seu ambiente. Ajude-o nessa tarefa brincando de Sumiu!

Materiais:

• Brinquedos macios e coloridos

• Cobertor, toalha ou paninho

Habilidades trabalhadas:

Antecipação de eventos

Capacidades cognitivas e de raciocínio

Permanência e estabilidade de objetos

Modo de fazer:

1. Coloque vários brinquedos macios e coloridos fora do alcance dos olhos do bebê.

2. Coloque o bebê sentado em sua cadeirinha e sente-se no lado oposto ao dele.

3. Traga um brinquedo e mostre ao bebê. Segure o brinquedo próximo ao seu rosto e fale com o bebê para chamar a sua atenção.

4. Enquanto o bebê estiver observando, cubra o brinquedo com um paninho.

5. Diga ao bebê: “Sumiu!”

6. Espere alguns segundos, descubra o brinquedo e anuncie alegremente: “Achou!”

7. Repita com brinquedos diferentes

Segurança: Se o bebê ficar chateado com o sumiço do brinquedo, esconda o brinquedo devagarzinho e mostre a ele o que você está fazendo. Não deixe o brinquedo coberto por muito tempo.


Massagem no Bebê *até 3 meses


Os bebês respondem ao toque imediatamente após o nascimento. O primeiro sinal de boas-vindas que os bebês recebem é o conforto do toque das mães ao segurá-los. Ofereça uma massagem ao seu bebê, para que ele se delicie com as carícias feitas por suas mãos macias.

Materiais:

• Cobertor ou toalha

• Loção hidratante para bebês
Habilidades trabalhadas:

Conhecimento do corpo

Aprimoramento do tato

Interação social
Modo de fazer:

1. Coloque um cobertor ou uma toalha sobre um tapete macio.

2. Coloque o bebê nu sobre o cobertor, de barriguinha para baixo.

3. Despeje um pouquinho de óleo para bebês nas mãos, esfregue-as para aquecer o óleo.

4. Massageie suavemente o bebê do pescoço até os ombros, passe pelos braços até as mãos, vá até o bumbum, passe nas pernas e chegue até os pezinhos. Seja gentil, não use um toque muito firme nem muito suave.

5. Vire o bebê de barriguinha para cima e repita a operação, passando um pouquinho mais de óleo.

Segurança: Use toques suaves para não deixar manchas roxas! Certifique-se de que o bebê não seja alérgico ao óleo ou às loções usadas. Evite contato com o rosto do bebê, para que o óleo ou a loção não entre nos olhos.



Brincadeiras para o maternal:

Amigo Fantoche *- 3 a 6 meses


Conforme a visão do bebê melhora, ele passa a ver claramente objetos a distâncias maiores. Para trabalhar sua capacidade de focalizar e de rastrear, tenha um fantoche à mão na hora da comida, da troca da fralda ou da brincadeira.

Materiais:

• Meia branca limpa

• Canetas hidrocor

Habilidades trabalhadas:

-Desenvolvimento da linguagem

-Interação social

-Acuidade visual

Modo de fazer:

1. Compre um par de meias brancas, grandes o suficiente para caber em suas mãos.

2. Use as canetas hidrocor para desenhar olhos, sobrancelhas, nariz e ouvidos nos “dedões” das meias. Use a parte dos calcanhares para desenhar a boca e a língua vermelha.

3. Coloque o bebê no colo, na mesa de trocar ou na cadeirinha.

4. Coloque um dos fantoches feitos de meia na sua mão e comece a cantar, recitar versinhos ou apenas conversar. Coloque o segundo fantoche na outra mão para uma diversão dobrada.
Segurança: Não deixe o bebê chupar a meia, pois a tinta pode sair.



Chapéu Divertido *- 3 a 6 meses


Quando você introduzir o jogo Chapéu Divertido, seu bebê estará quase acostumado a reconhecer rostos. Você não conseguirá enganá-lo por muito mais tempo, mas ele se divertirá tirando e colocando o chapéu de volta.

Materiais:

• Variedade de chapéu
• Cadeirinha para crianças

• Sua cabeça e suas mãos

Habilidades trabalhadas:

-Causa e efeito

-Lidando com a ansiedade causada pelo novo

-Constância do objeto (um objeto permanece o mesmo, ainda que alterado)

-Interação social



Modo de fazer:

1. Pegue os vários chapéus da casa ou compre alguns chapéus baratos em lojas baratas ou especializadas em festas. Procure incluir bonés, toucas de lã, chapéus de bombeiro, de palhaço, de cozinheiro, uma boina, chapéus que cubram as orelhas, ou um chapéu chique com penas de aves. (Não inclua máscaras no jogo, elas tendem a assustar bebês pequeninos.)

2. Coloque o bebê em sua cadeirinha e coloque a cadeirinha no chão. Sente-se em frente dele.

3. Coloque o primeiro chapéu em sua cabeça e faça uma cara engraçada, ao mesmo tempo em que diz alguma coisa interessante, tal como, “Olhe para mim!” ou “Veja, eu sou um bombeiro!”

4. Incline-se para o bebê para que ele consiga segurar e tirar o chapéu, ou tire você mesma.

5. Repita várias vezes com o mesmo chapéu antes de pegar outro.

Segurança: Algumas vezes, os bebês se assustam quando a aparência das pessoas muda. Se o bebê começar a ficar assustado, coloque e tire o chapéu rapidamente e mostre que você ainda é a Mamãe/Papai. Se ele continuar assustado, deixe para fazer o jogo mais tarde, em outra ocasião.



Abra e Feche *(3 a 6 meses )

Durante vários meses, após o nascimento do bebê, ele tem o reflexo de agarrar objetos com a palma da mão, mas apresenta dificuldade para soltá-los. Esse jogo ajudará os bebês a conseguirem total controle das mãos e do reflexo de agarrar.

Materiais:

• Brinquedos de tamanho médio, fáceis de serem agarrados pelo bebê, tais como chocalhos, bichinhos de pelúcia, mordedores, blocos, e assim por diante.

• Mesa ou cadeirão

Habilidades trabalhadas:

-Agarrando e soltando

-Desenvolvimento motor fino

-Controle fino dos músculos

Modo de fazer:

1. Pegue vários brinquedos que possam ser agarrados e que caibam nas mãos do bebê.

2. Coloque o bebê no seu colo, perto da mesa ou do cadeirão.

3. Coloque um brinquedo perto do bebê, de modo que ele precise se esticar um pouquinho para alcançá-lo.

4. Estimule-o a pegar o brinquedo.

5. Depois de ele ter conseguido pegar o brinquedo e de ter se divertido um pouquinho, separe os dedinhos gentilmente e retire o brinquedo.

6. Coloque o brinquedo de volta na mesa.

7. Enquanto as mãos do bebê estão livres, cante a seguinte canção ao mesmo tempo em que abre, fecha e bate palmas com as mãozinhas.

Abra e feche, abra e feche,

Bata uma palminha!

Abra e feche, abra e feche

Coloque no colinho!
Segurança: Já que, com certeza, nessa fase os bebês levam à boca todos os brinquedos, certifique-se de que os brinquedos estejam limpos e não tenham nenhuma ponta afiada ou partes pequenas que possam se soltar e fazer com que ele engasgue.

Serra-Serrador * 3 a 6 mesesEm breve, o bebê perderá dois dos reflexos que tinha à época do nascimento – o reflexo de agarrar e o “reflexo de boneca” (ou seja, abrir os olhos quando se senta) – e ganhará maior controle de seus movimentos. Enquanto ainda os tem, brinque com ele de Serra-Serrador para aproveitar esses reflexos!

Materiais:

• Superfície macia e não escorregadia

• Suas mãos
Habilidades trabalhadas:

-Antecipação e surpresa

-Agarrar

-Controle da cabeça e do pescoço

-Interação socia
Modo de fazer:

1. Deite o bebê em uma superfície macia e não escorregadia, um carpete, por exemplo.

2. Sente-se de frente para ele, perto dos seus pezinhos.

3. Coloque os polegares nas palmas das mãos do bebê e deixe que ele os agarre. Conforme ele segura os polegares, “enrole” seus dedos ao redor da parte de trás das mãos do bebê.

4. Bem devagarzinho, puxe o bebê até que ele esteja sentado e cante: “Serra-Serrador”.

5. Dê um tempinho para o bebê apreciar a sua expressão de felicidade e para aproveitar a brincadeira, depois, recomece.

Segurança: Certifique-se de segurar firmemente as mão do bebê para o caso de ele largá-las. Faça os movimentos vagarosamente para não machucar o pescocinho dele.


Batuque * 6 a 9 meses

Mesmo em uma idade tão tenra, o seu bebê possui ritmo! Ele adora batucar e fazer barulho, portanto, use essas capacidades para transformá-lo em um percussionista amador. Veja abaixo vários modos de apreciar a batida dos tambores.

Materiais:

• Cadeirão e bandeja

• Colher de pau, espanador e outras “baquetas”.

• Alumínio, panelas de metal, tigelas de plástico, assadeiras, jornais e outros itens para bater



Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Capacidade auditiva

Ritmo e coordenação

Modo de fazer:

1. Coloque o bebê no cadeirão com a bandeja.

2. Dê a ele uma colher de pau e mostre como batucar na bandeja.

3. Em seguida, dê o espanador de pó e qualquer outra “baqueta”, uma de cada vez.

4. Então, ofereça novos itens nos quais batucar, por exemplo, a tigela de plástico, a assadeira, o jornal, etc.

5. Proteja seus ouvidos com algodão, assim você evitará uma grande dor de cabeça! (brincadeirinha!)

Segurança: Preste atenção para que o bebê não se machuque nem machuque outras pessoas com as suas “baquetas”.


O que será? 6 a 9 meses

O meio ambiente em que o seu bebê está inserido oferece vários estímulos aos seus cinco sentidos. Ofereça ao bebê uma variedade rica de coisas interessantes para explorar e ele se divertirá muito com as mãos e a boca.

Materiais:

• Variedade de comidas preferidas

• Cadeirão

• Tapetes de plástico

Habilidades trabalhadas:

Conscientização do ambiente

Desenvolvimento motor fino

Experimentação científica

Modo de fazer:

1. Prepare vários pratos, em quantidades variadas, interessantes para que o seu bebê possa tocá-los e cheirá-los, por exemplo, gelatina de frutas, iogurte, banana, cereais, aveia, espaguete, etc.

2. Estenda um tapete de plástico no chão da cozinha e coloque o cadeirão sobre ele.

3. Sente o bebê no cadeirão e coloque uma das comidas na bandeja.

4. Deixe o bebê brincar com a comida por alguns minutos, explorando-a com as mão e a boca.

5. Tire a comida e ofereça um segundo item para exploração.

6. Observe a expressão do bebê enquanto ele examina a nova comida. Certifique-se de dar os nomes e de descrever cada comida, conforme você as coloca na frente dele.

Segurança: Certifique-se de ficar de olho no bebê para que ele não engasgue com a comida.


Sinos Tocam! * 6 a 9 meses

Nessa versão musical de esconde-esconde, o seu bebê terá de procurar e encontrar sinos escondidos. Não é uma atividade muito difícil, tudo o que ele precisará fazer é ouvir atentamente enquanto os sinos são tocados e descobrir onde estão escondidos.

Materiais:

• Brinquedo macio com sino embutido ou um bracelete feito com sinos.

Vários esconderijos, tais como brinquedos macios e cobertores.


Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Desenvolvimento cognitivo

Capacidade auditiva

Modo de fazer:

1. Pegue um brinquedo com sino embutido ou faça um bracelete com sinos. (Certifique-se de que os sinos sejam grandes o suficiente para evitar que a criança engasgue com eles).

2. Coloque o bebê no chão e coloque ao seu redor vários objetos que possam ser utilizados como esconderijo, tais como brinquedos macios e cobertores.

3. Segure os sinos acima da cabeça do bebê, de modo que ele consiga vê-los, e balance-os para ele ouvir os sons.

4. Esconda, sem que o bebê veja, os sinos em um dos esconderijos.

5. Pergunte ao bebê: “Onde estão os sinos?”

6. Um por um, levante os objetos e chacoalhe. Quando levantar o objeto sob o qual os sinos estão escondidos, balance-o, mas não deixe que o bebê os veja.

7. Observe como a expressão do bebê muda quando você chacoalha os sinos.

8. Retire os sinos do esconderijo e diga: “Achou!”

9. Jogue novamente, variando os esconderijos.

Segurança: Certifique-se de que os sinos estejam “grudados” em alguma coisa, para que o bebê não consiga engoli-los.


No Zoológico * 6 a 9 meses


Conforme o bebê aprende a falar, ele começa a adorar reproduzir sons. Portanto, faça uma viagem imaginária ao zoológico e aprenda sobre os animais, enquanto aprimora as capacidades auditivas e de linguagem do seu bebê.

Materiais:

• Bichinhos de pelúcia, figuras ou fotos grandes de animais

• Assento para crianças

• Sua voz

Habilidades trabalhadas:

Reconhecimento auditivo.

Capacidade de classificação

Desenvolvimento da linguagem

Interação social

Modo de fazer:

1. Pegue vários bichinhos de pelúcia ou fotos grandes de animais.

2. Coloque o bebê na cadeirinha e sente-se de frente para ele.

3. Segure um dos bichinhos de pelúcia ou uma das figuras próximo ao seu rosto, para que o bebê possa ver a sua boca, então imite o som do animal.

4. Deixe o bebê também fazer a imitação do som do animal.

5. Segure o próximo bichinho ou figura e faça o som apropriado.

6. Repita com todos os animais ou figuras.

7. Segure novamente os bichinhos e as figuras, e faça uma pausa antes de imitar o som do animal, assim o bebê poderá antecipar o som.

Segurança: Não faça os barulhos muito altos, o objetivo não é assustar o bebê.


Viagem no Túnel * 6 a 9 meses


Conforme o bebê se move na sala, torne a sua movimentação mais divertida com uma viagem através de um túnel. Ele descobrirá um novo modo de se mover e encontrará uma surpresa do outro lado do túnel. Você só vai precisar de uma caixa grande.

Materiais:

Caixa de papelão um pouco maior que o corpo do bebê.

Cobertor pequeno de bebê.

Capacidades cognitivas e de raciocínio

Percepção aprofundada.

Permanência do objeto.

Solução de problemas


Modo de fazer:

1. Arranje uma caixa um pouco maior que o corpo do bebê para que ele possa engatinhar facilmente através dela. Corte as extremidades da caixa para fazer o túnel.

2. Coloque o bebê no chão, numas das extremidades da caixa.

3. Fique do outro lado do túnel e chame o bebê. Tente fazer com que ele entre na caixa. Se ele precisar de ajuda, atravesse a mão dentro da caixa e, suavemente, puxe-o para o outro lado.

4. Repita essa operação várias vezes.

5. Coloque o cobertor sobre a extremidade em que você estiver, de modo que o bebê não consiga enxergá-la, atravesse a caixa com a mão e puxe o bebê para o outro lado.



Segurança: Certifique-se de que a caixa não seja muito pequena e não deixe o bebê sozinho dentro da caixa ou ele ficará assustado.



Brinquedos Colantes * 9 a 12 meses



Agora que o bebê já é capaz de pegar seus brinquedos, proponha um desafio, tornando a tarefa um pouco mais difícil. Veja se ele consegue resolver o seu próprio problema!

Materiais:

• Papel “contact” transparente

• Vários brinquedos pequenos, mas grandes o suficiente para não serem engolidos



Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Desenvolvimento motor grosso e fino

Solução de problemas



Modo de fazer:

1. Corte uma tira de papel “contact” transparente, de mais ou menos 61 centímetros de comprimento.

2. Retire o papel protetor da parte traseira do papel “contact”.

3. Coloque o papel “contact”, com o lado que gruda virado para cima, no chão.

4. Coloque alguns brinquedos de tamanho médio, por exemplo, uma boneca de plástico, um livro de capa dura, um pedaço de quebra-cabeça, etc. na parte do papel que tem cola.

5. Leve o bebê até os brinquedos e coloque-o sentado perto deles.

6. Tente tirar um brinquedo do papel e mostre ao bebê que você não está conseguindo. Peça ajuda.

7. Observe o bebê enquanto ele tenta descobrir o que está acontecendo e enquanto tenta descobrir como tirar os brinquedos do papel.



Segurança: Observe o bebê enquanto ele explora o papel, para que ele não cubra o rostinho. Caso ele comece a sentir-se frustrado, mostre como retirar os brinquedos do papel.





Engatinhando no Túnel * 9 a 12 meses



Engatinhar é uma aventura do desenvolvimento do bebê, uma capacidade que abre as portas de um novo mundo para ele, que passa a explorar o seu ambiente de várias formas. Faça para ele um túnel simples, com obstáculos que o desafiem enquanto ele aproveita essa nova experiência.



Materiais:

• 3 caixas de papelão, grandes o suficiente para que o bebê engatinhe facilmente através delas

• Tesoura

• Fita isolante

• Bichinhos de pelúcia ou um cobertor



Habilidades trabalhadas:

Exploração

Desenvolvimento motor grosso

Solução de problemas



Modo de fazer:

1. Corte as abas das três caixas, corte alguns quadrados dos lados para ventilação e passe a fita nas caixas para formarem um único túnel.

2. Coloque o túnel no meio da sala.

3. Use os bichinhos de pelúcia ou o cobertor para criar obstáculos dentro do túnel (o cobertor fará com que a superfície do túnel fique um pouco escorregadia).

4. Coloque o bebê no chão, numa das extremidades do túnel e dirija-se para a outra extremidade.

5. Espie dentro do túnel e chame o bebê, estimule-o a engatinhar até você. Se ele estiver relutante a entrar no túnel, provoque-o com um brinquedo.

6. Encoraje-o conforme ele engatinha através do túnel até o outro lado.

7. Repita e deixe que ele explore e aproveite a experiência dentro do túnel.



Segurança: Se o bebê estiver com medo de entrar no túnel, tudo bem, não o force a fazer isso. Deixe o túnel um pouquinho na sala para que ele se acostume com a idéia. Então tente novamente. Se o bebê ficar assustado quando você cobrir as extremidades com os cobertores, é melhor retirá-los.



Sinos Tocam! * 9 a 12 meses

Nessa versão musical de esconde-esconde, o seu bebê terá de procurar e encontrar sinos escondidos. Não é uma atividade muito difícil, tudo o que ele precisará fazer é ouvir atentamente enquanto os sinos são tocados e descobrir onde estão escondidos.

Materiais:

• Brinquedo macio com sino embutido ou um bracelete feito com sinos.

• Vários esconderijos, tais como brinquedos macios e cobertores.

Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Desenvolvimento cognitivo

Capacidade auditiva

Modo de fazer:

1. Pegue um brinquedo com sino embutido ou faça um bracelete com sinos. (Certifique-se de que os sinos sejam grandes o suficiente para evitar que a criança engasgue com eles).

2. Coloque o bebê no chão e coloque ao seu redor vários objetos que possam ser utilizados como esconderijo, tais como brinquedos macios e cobertores.

3. Segure os sinos acima da cabeça do bebê, de modo que ele consiga vê-los, e balance-os para ele ouvir os sons.

4. Esconda, sem que o bebê veja, os sinos em um dos esconderijos.

5. Pergunte ao bebê: “Onde estão os sinos?”

6. Um por um, levante os objetos e chacoalhe. Quando levantar o objeto sob o qual os sinos estão escondidos, balance-o, mas não deixe que o bebê os veja.

7. Observe como a expressão do bebê muda quando você chacoalha os sinos.

8. Retire os sinos do esconderijo e diga: “Achou!”

9. Jogue novamente, variando os esconderijos.

Segurança: Certifique-se de que os sinos estejam “grudados” em alguma coisa, para que o bebê não consiga engoli-los.


Caiu! * 9 a 12 meses

Depois de seu bebê aprender a construir uma torre, ele vai adorar a experiência de derrubá-la! Divirta-se brincando de Caiu! e construindo uma torre com blocos para que a destruição aconteça!

Materiais:

• Blocos grandes, comprados em lojas ou feitos com caixas de leite.

• Superfície grande e lisa

Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Capacidades cognitivas

Desenvolvimento motor fino

Solução de problemas

Modo de fazer:

1. Compre alguns blocos ou faça-os você mesma: pegue caixas de leite de tamanhos diferentes, lave-as e seque cuidadosamente, em seguida recorte a parte de baixo delas. Dobre os lados para fazer quadrados e retângulos e feche as extremidades recortadas com fita adesiva ou fita crepe.

2. Coloque o bebê sentado no chão e rodeado pelos blocos.

3. Mostre-lhe como construir uma torre empilhando os blocos, um de cada vez. Peça que ele imite você.

4. Quando a torre estiver bem grande, deixe que o bebê derrube tudo!

5. Reconstrua a torre quantas vezes forem necessárias até que o bebê se canse da brincadeira.

Segurança: Se você utilizar alguma outra coisa que não os blocos, certifique-se de que os objetos não sejam muito pesados, para que não machuquem o bebê quando caírem.


Sinos Tocam! * 12 a 18 meses

Nessa versão musical de esconde-esconde, o seu bebê terá de procurar e encontrar sinos escondidos. Não é uma atividade muito difícil, tudo o que ele precisará fazer é ouvir atentamente enquanto os sinos são tocados e descobrir onde estão escondidos.

Materiais:

• Brinquedo macio com sino embutido ou um bracelete feito com sinos.

• Vários esconderijos, tais como brinquedos macios e cobertores.

Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Desenvolvimento cognitivo

Capacidade auditiva

Modo de fazer:

1. Pegue um brinquedo com sino embutido ou faça um bracelete com sinos. (Certifique-se de que os sinos sejam grandes o suficiente para evitar que a criança engasgue com eles).

2. Coloque o bebê no chão e coloque ao seu redor vários objetos que possam ser utilizados como esconderijo, tais como brinquedos macios e cobertores.

3. Segure os sinos acima da cabeça do bebê, de modo que ele consiga vê-los, e balance-os para ele ouvir os sons.

4. Esconda, sem que o bebê veja, os sinos em um dos esconderijos.

5. Pergunte ao bebê: “Onde estão os sinos?”

6. Um por um, levante os objetos e chacoalhe. Quando levantar o objeto sob o qual os sinos estão escondidos, balance-o, mas não deixe que o bebê os veja.

7. Observe como a expressão do bebê muda quando você chacoalha os sinos.

8. Retire os sinos do esconderijo e diga: “Achou!”

9. Jogue novamente, variando os esconderijos.

Segurança: Certifique-se de que os sinos estejam “grudados” em alguma coisa, para que o bebê não consiga engoli-los.


Caixa na Caixa * 12 a 18 meses

Combinação dos jogos "Surpresa!" e "O que tem dentro?", esta brincadeira manterá o seu bebê adivinhando e sorrindo. Certifique-se de ter alguma coisa especial para oferecer no fim do jogo, assim a espera terá valido à pena.

Materiais:

• Uma variedade de caixas de tamanhos diferentes, acondicionadas umas dentro das outras.

• Brinquedo ou guloseima

Habilidades trabalhadas:

Permanência do objeto.

Solução de problemas

Separação, classificação, serialização (colocar as coisas em ordem)

Modo de fazer:

1. Escolha uma variedade de caixas que serão acondicionadas umas dentro das outras. Tente conseguir caixas bem grandes, algumas de tamanho médio e outras bem pequenas,

2. Coloque um brinquedo ou guloseima especial dentro da menor caixa, para que o seu bebê possa descobri-la no fim do jogo. Feche a caixa pequena e coloque-a na segunda menor caixa. Feche a última caixa.

3. Continue assim até que todos as caixas tenham sido encaixadas dentro umas das outras, terminando dentro da maior de todas.

4. Leve o seu bebê até a sala e mostre-lhe a caixa.

5. Pergunte: “O que tem aí dentro?” e ajude-o a abrir a caixa.

6. Quando o bebê enxergar a próxima caixa, diga: “Outra caixa!” Tire essa caixa de dentro da caixa maior e peça ao bebê que abra a caixa.

7. Prossiga até que o bebê atinja a menor de todas as caixas, então, deixe que ele encontre a surpresa!

Segurança: Arranje caixas que sejam fáceis de ser abertas, para que o bebê possa realizar a tarefa sozinho, sem sentir-se frustrado.


Adivinhe o Som! * 12 a 18 meses

Aumente a capacidade auditiva do seu bebê jogando o "Adivinhe o Som!" Quanto mais sons você oferecer, mais divertido e interessante o jogo será, já que o seu bebê tentará descobrir o que está produzindo aqueles sons!

Materiais:

• De 3 a 5 (ou mais) itens que produzam sons, por exemplo, sinos grandes, agitadores ou chocalhos, sons de estalos, buzina de bicicleta, brinquedos de apertar, bonecas que falam, tamborins.

• Cobertor pequeno

Habilidades trabalhadas:

Causa e efeito

Capacidade auditiva

Solução de problemas

Modo de fazer:

1. Alinhe em fila de três a cinco itens que produzem som no chão.

2. Cubra-os com um cobertor para que o bebê não possa vê-los.

3. Coloque o bebê sentado no chão próximo ao cobertor.

4. Retire o cobertor e faça barulho. Utilize um item de cada vez, um após o outro.

5. Cubra os itens novamente.

6. Levante a ponta do cobertor que está virada para você e faça barulho com um dos itens.

7. Descubra novamente todos os itens e veja se o seu bebê é capaz de pegar o item que produziu o barulho. Se ele hesitar, devagar, faça barulho novamente com cada um dos itens e veja se ele consegue reconhecer o som. Lembre-se de elogiá-lo quando ele acertar.

8. Cubra os itens e jogue novamente.
Segurança: Não utilize nenhum item que produza sons muito altos, o objetivo não é assustar o bebê.



Igual ou Diferente? * 18 a 24 meses


As capacidades cognitivas dos bebês se desenvolvem rapidamente durante essa fase. Agora eles já são capazes de classificar, de modo rudimentar, objetos baseados em similaridades e em diferenças. Esse jogo ajuda a aprimorar essa capacidade.

Materiais:

• Grupos de três brinquedos, 2 idênticos e 1 similar, por exemplo, cartas de baralhos, bichinhos de pelúcia, blocos, figuras, bonecos, bolas de tamanho médio e assim por diante.

• Mesa

Habilidades trabalhadas:

Classificação e separação

Distinção de propriedades similares e diferentes

Aprimoramento das capacidades cognitivas

Modo de fazer:

1. Coloque os itens em grupos de três. Cada grupo deve ter dois itens idênticos e um que seja um pouquinho diferente.

2. Coloque os grupos de três em sacos separados.

3. Coloque o bebê e o saco sobre a mesa.

4. Retire os três itens do saco e coloque-os sobre a mesa.

5. Pergunte ao bebê qual item é diferente dos outros dois. Deixe que ele pense no assunto por alguns minutos. Se ele apresentar dificuldades, faça perguntas sobre os itens para ajudá-lo a perceber a diferença.

6. Traga o restante dos sacos; um de cada vez. Deixe que ele fique tentando adivinhar quais os itens que não pertencem à série.

Segurança: Certifique-se que os itens escolhidos sejam seguros para o bebê.


Toque Nisso! * 18 a 24 meses

Os pais sempre dizem aos bebês: “Não toque nisso!” Essa é a oportunidade que faltava para dizer: “Toque nisso!” . Esse jogo divertirá e educará o seu bebê.

Materiais:

• 6 sacos pequenos de papel

• 6 itens incomuns para serem tocados

Habilidades trabalhadas:

Capacidades cognitiva

Exploração

Representação mental, imaginação

Tato

Modo de fazer:

1. Coloque em cada um dos seis sacos de papel um item incomum, que tenha propriedades sensoriais interessantes, como por exemplo, bolas texturizadas, esponjas, bolas de algodão, brinquedos de apertar, brinquedos familiares, escovas e assim por diante.

2. Feche os sacos e coloque-os no chão.

3. Traga o seu bebê para a sala e coloque-o no chão, perto dos sacos.

4. Escolha um dos sacos e abra a sua parte superior.

5. Deixe o bebê colocar a mãozinha no saco, mas sem olhar dentro. Se o bebê estiver um pouco relutante para iniciar a “exploração” com a mão dele, demonstre com as suas mãos.

6. Pergunte ao bebê o que ele sente. Veja se ele consegue adivinhar o que o item é.

7. Se ele não conseguir, coloque a sua mão no saco de papel e descreva as propriedades do item para o seu bebê.

8. Se mesmo assim ele não conseguir adivinhar, deixe que ele tire o item do saco e identifique-o



Segurança: Certifique-se de que os itens sejam seguros ao contato, sem pontas afiadas ou pontiagudas.



(Fonte:As atividades foram baseadas no livro "Baby Play & Learn" autora, Penny Warner, e editora, a Meadowbrook Press (1999).)



quarta-feira, 30 de maio de 2012

quarta-feira, 2 de maio de 2012

segunda-feira, 23 de abril de 2012

PESSOAL SE PREPAREM PARA O CONCURSO PARA O MAGISTÉRIO!!!!

Aberto grande concurso público na Prefeitura de Nova Iguaçu, um dos 13 municípios integrantes da Área Metropolitana do Rio de Janeiro, considerado o maior da Baixada fluminense, em extensão territorial. São oferecidos 2.616 postos de trabalho em cargos (veja relação no edital abaixo) dos níveis fundamental ao superior e a remuneração chega a até R$ 4.050,00.


Os interessados poderão se inscrever pessoalmente na Central de Atendimento da Consulplan, localizada na Escola Municipal Monteiro Lobato, localizada na rua Luís de Lima, s/no, centro de Nova Iguaçu, no período entre 23 de abril e 04 de maio de 2012. Também são admitidas inscrições via internet, até o dia 06 de maio de 2012 pelo site www.consulplan.net. As taxas são de R$ 30,00, R$ 40,00, R$ 50,00 e R$ 65,00.

O processo de seleção constará de provas escritas objetivas de múltipla escolha para todos os cargos, de caráter eliminatório e classificatório; avaliação de títulos somente para os cargos de "professor", de caráter apenas classificatório; e provas práticas somente para os cargos de auxiliar de serviços gerais II, auxiliar de merendeiro II, merendeiro II e motorista II, de caráter eliminatório e classificatório.

As provas objetivas serão realizadas no dia 03 de junho de 2012, em dois turnos e com duração de três horas. O local será divulgado a partir de 28 de maio de 2012 no quadro de avisos da prefeitura municipal e no site http://www.consulplan.net/.

Os gabaritos oficiais preliminares das provas escritas objetivas de múltipla escolha serão divulgados no mesmo site no dia subsequente ao da realização das mesmas.

A prova prática tem data inicialmente prevista para se realizar entre os dias 22 a 24 de junho de 2012, quando já terão sido divulgados os resultados das provas escritas, apenas para os candidatos que obtiveram nas provas escritas objetivas de múltipla escolha pontuação igual ou superior a 50%.

Os títulos deverão ser entregues na data de realização da prova escrita, na Coordenação do local de provas em que o candidato realizar a prova, apenas após o término do tempo estipulado para a realização da mesma.

A validade deste concurso público é de dois anos, contados da data de sua homologação, podendo ser prorrogada uma vez, por igual período.

Edital / Publicações/Edital Prefeitura de Nova Iguaçu

terça-feira, 27 de março de 2012

Concurso para secretário escolar!!!!!!!

CONCURSO PÚBLICO - EDITAL SMA Nº. 69, DE 13 DE MARÇO DE 2012



A partir da próxima terça-feira, 20, a prefeitura do Rio de Janeiro estará com inscrições abertas para o concurso público 069/2012, destinado ao provimento de 1.066 vagas de Secretário Escolar junto a Secretaria Municipal de Educação.


De acordo com o Poder Executivo local, os contratados farão jus a remuneração de R$ 661,30, mais auxílio transporte de R$ 121,00 e benefício alimentação de R$ 264,00 por jornada de 40h semanais.

As vagas serão distribuídas entre 10 diferentes Coordenadorias Regionais de Educação. Para concorrer os interessados devem ter ensino médio completo e realizar sua inscrição até 1º de abril de 2012, com limite das 23h59 pelo site concursos.rio.rj.gov.br. A taxa será de R$ 50,00.

Segundo consta em edital, haverá prova objetiva composta por 50 questões (língua portuguesa, matemática e noções de informática) e de redação (tema da atualidade).





Você está preocupado com a sustentabilidade do planeta?

Você está preocupado com a sustentabilidade?














Autor: Bernado Porto

Disponível em:http://www.bernardoporto.com/2009/10/desenvolvimento-sustentavel-aquecimento-global/


A escolha da charge foi baseada na frase a seguir, pois acredito no trabalho em equipe e no comprometimento profissional!


"Com talento ganhamos partidas; com trabalho em equipe e inteligência ganhamos campeonatos." Bernardo Porto

Escolhi este texto para reflexão:


DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL



Você já parou para pensar no que significa a palavra "progresso"? Pois então pense: estradas, indústrias, usinas, cidades, máquinas e muitas outras coisas que ainda estão por vir e que não conseguimos nem ao menos imaginar. Algumas partes desse processo todo são muito boas, pois melhoram a qualidade de vida dos seres humanos de uma forma ou de outra, como no transporte, comunicação, saúde, etc. Mas agora pense só: será que tudo isso de bom não tem nenhum preço? Será que para ter toda essa facilidade de vida nós, humanos, não pagamos nada?

Você já ouviu alguém dizer que para tudo na vida existe um preço? Pois é, nesse caso não é diferente. O progresso, da forma como vem sendo feito, tem acabado com o ambiente ou, em outras palavras, destruído o planeta Terra e a Natureza. Um estudioso do assunto disse uma vez que é mais difícil o mundo acabar devido a uma guerra nuclear ou a uma invasão extraterrestre (ou uma outra catástrofe qualquer) do que acabar pela destruição que nós, humanos, estamos provocando em nosso planeta. Você acha que isso tudo é um exagero? Então vamos trocar algumas idéias. E o Desenvolvimento Sustentável?

O atual modelo de crescimento econômico gerou enormes desequilíbrios; se, por um lado, nunca houve tanta riqueza e fartura no mundo, por outro lado, a miséria, a degradação ambiental e a poluição aumentam dia-a-dia. Diante desta constatação, surge a idéia do Desenvolvimento Sustentável (DS), buscando conciliar o desenvolvimento econômico com a preservação ambiental e, ainda, ao fim da pobreza no mundo.

As pessoas que trabalharam na Agenda 21 escreveram a seguinte frase: "A humanidade de hoje tem a habilidade de desenvolver-se de uma forma sustentável, entretanto é preciso garantir as necessidades do presente sem comprometer as habilidades das futuras gerações em encontrar suas próprias necessidades". Ficou confuso com tudo isso? Então calma, vamos por partes. Essa frase toda pode ser resumida em poucas e simples palavras: desenvolver em harmonia com as limitações ecológicas do planeta, ou seja, sem destruir o ambiente, para que as gerações futuras tenham a chance de existir e viver bem, de acordo com as suas necessidades (melhoria da qualidade de vida e das condições de sobrevivência). Será que dá para fazer isso? Será que é possível conciliar tanto progresso e tecnologia com um ambiente saudável?

Acredita-se que isso tudo seja possível, e é exatamente o que propõem os estudiosos em Desenvolvimento Sustentável (DS), que pode ser definido como: "equilíbrio entre tecnologia e ambiente, relevando-se os diversos grupos sociais de uma nação e também dos diferentes países na busca da equidade e justiça social".

Para alcançarmos o DS, a proteção do ambiente tem que ser entendida como parte integrante do processo de desenvolvimento e não pode ser considerada isoladamente; é aqui que entra uma questão sobre a qual talvez você nunca tenha pensado: qual a diferença entre crescimento e desenvolvimento? A diferença é que o crescimento não conduz automaticamente à igualdade nem à justiça sociais, pois não leva em consideração nenhum outro aspecto da qualidade de vida a não ser o acúmulo de riquezas, que se faz nas mãos apenas de alguns indivíduos da população. O desenvolvimento, por sua vez, preocupa-se com a geração de riquezas sim, mas tem o objetivo de distribuí-las, de melhorar a qualidade de vida de toda a população, levando em consideração, portanto, a qualidade ambiental do planeta.

O Desenvolvimento Sustentável tem seis aspectos prioritários que devem ser entendidos como metas:

• A satisfação das necessidades básicas da população (educação, alimentação, saúde, lazer, etc);

• A solidariedade para com as gerações futuras (preservar o ambiente de modo que elas tenham chance de viver);

• A participação da população envolvida (todos devem se conscientizar da necessidade de conservar o ambiente e fazer cada um a parte que lhe cabe para tal);

• A preservação dos recursos naturais (água, oxigênio, etc);

• A elaboração de um sistema social garantindo emprego, segurança social e respeito a outras culturas (erradicação da miséria, do preconceito e do massacre de populações oprimidas, como por exemplo os índios);

• A efetivação dos programas educativos.

Na tentativa de chegar ao Desenvolvimento Sustentável, sabemos que a Educação Ambiental é parte vital e indispensável, pois é a maneira mais direta e funcional de se atingir pelo menos uma de suas metas: a participação da população.

Texto: Marina Ceccato Mendes

Disponível em: http://educar.sc.usp.br/biologia/textos/m_a_txt2.html